Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Marco Polo del Nero não vai renunciar à presidência da CBF

'Não tenho nada a ver com isso', diz dirigente sobre escândalo

Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2015 | 12h21

O presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, negou com veemência nesta sexta-feira a possibilidade de renunciar ao cargo. Segundo o presidente, “não existe absolutamente nada” contra ele e não há motivos para renúncia. Del Nero afirmou ainda que o razão de sua saída repentina de Zurique, antes mesmo de iniciar a eleição à presidência da Fifa, foi para “transmitir de forma correta as explicações necessárias não só para as autoridades, mas também para a imprensa”.

“É impossível renunciar. Não vou renunciar porque não tenho nada a ver com isso”, afirmou Del Nero, durante coletiva de imprensa realizada na sede da CBF. “Não tive nenhuma participação, nenhum contrato eu assinei na administração do presidente Marin.” 

Segundo Del Nero, sua participação no comando da entidade durante a gestão Marin era secundária. “A função do vice-presidente é colaborar com o presidente naquilo que ele solicita. Tudo que ele solicitava, eu cumpria. Vice-presidente não manda”, sustentou. 

Del Nero disse ainda que a diretoria da CBF orientou, e ele “apoia totalmente”, a revisão dos contratos assinados na gestão do ex-presidente José Maria Marin, detido em Zurique por suspeita de receber propinas. Mas o dirigente declarou que isso não significa que eles sejam danosos. “Não podemos dizer que os contratos são ruins ou péssimos, porque andaram bem até agora.”

CPI DA CBF

O presidente da CBF disse nesta sexta que se colocará à disposição em todas as investigações que forem abertas para tratar do escândalo envolvendo suposto pagamento de propina em contratos da CBF. Com a CPI para investigar o futebol brasileiro prestes a ser aberta no Senado, por proposição do senador e ex-jogador Romário (PSB-RJ), e outra já protocolada na Câmara dos Deputados pelo deputado e ex-judoca João Derly (PCdoB-RS), Del Nero disse que, se for chamado, comparecerá. Ele declarou ainda que deve processar o senador carioca.

“Aonde tiver manifestação legal, e tenha necessidade de comparecer, que eu serei chamado, estarei presente, dando todos os esclarecimentos”, garantiu o presidente da CBF. Del Nero, porém, declarou que deve acionar o senador Romário judicialmente. Na quarta-feira, o ex-jogador chamou o presidente da CBF de “safado, ladrão e ordinário” durante uma audiência que presidiu no Senado.

“Com relação ao senador Romário, posso informar que não é de hoje que ele me ataca, mas todas as vezes vou ao Poder Judiciário e tomo as providências. Ao menos em uma delas ele foi condenado. Enquanto ele me ofender, o processarei”, sustentou o dirigente.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.