Marcos agora é cidadão de São Marcos

As defesas quase milagrosas durante a Copa do Mundo, que faziam os narradores chamarem o goleiro da Seleção Brasileira, Marcos, de ?São? Marcos, valeram uma homenagem diferente ao pentacampeão neste domingo. Ele recebeu o título de Cidadão Benemérito da cidade de São Marcos, no interior do Rio Grande Sul. A iniciativa foi da prefeitura, comandada pelo prefeito Adair Casarotto, e teve aprovação pela Câmara Municipal. Marcos chegou por volta das 11h30min, e foi alvo de uma série de homenagens. As ruas estavam decoradas com faixas saudando a sua presença. Ele percorreu em uma caminhonete as principais ruas do município de cerca de 19 mil habitantes, distante 160 quilômetros de Porto Alegre. Na prefeitura, ele recebeu as chaves da cidade e a placa com o título de Cidadão Benemérito. Marcos gravou as mãos em uma placa de cimento e inaugurou o Memorial de São Marcos. Neste, há um uniforme que ele usou durante a Copa do Mundo e doou para o município. Em seguida, o goleiro almoçou na Capela de Santo Isidoro, no interior do município, e retornou a São Paulo. No total, ele ficou cerca de três horas em São Marcos. Nos locais em que o goleiro compareceu, foi grande o assédio dos fãs. De forma simples e um tanto tímida, ele agradeceu a homenagem, que não recebeu em sua cidade local. "Eu não poderia fazer porque teria que convidar todo mundo. Estou esperando que alguém faça", disse, brincando. Para o prefeito Casarotto, a homenagem foi importante pela divulgação que deu ao município, considerado uma das capitais nacionais dos caminhoneiros, devido ao número de profissionais nessa atividade - mais de 3 mil segundo as autoridades. O título foi conferido por meio da Lei 1.646, de 11 de julho de 2002. Inicialmente houve contestações de vereadores de oposição. Mas no final a tese de que o município seria beneficiado prevaleceu. Foram confeccionados 500 kits, compostos por camiseta e um boné com o número 1 do goleiro. 100 deles renderam 500 quilos de alimentos não-perecíveis, doados a entidades do município, e os demais acabaram distribuído à população. A vinda do goleiro da Seleção ao município teve um custo de R$ 20 mil, coberto por empresas. A única exigência de Marcos foi que a homenagem ocorresse numa folga do Palmeiras, como aconteceu hoje. O município pagou apenas as passagens dele.

Agencia Estado,

18 Agosto 2002 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.