Marcos Aurélio e Rodrigo Souto novamente faltam ao treino

Diretores e time do Santos não comentam a nova ausência dos jogadores; time faz exames e treinos físicos

Bruno Winckler, Jornal da Tarde

04 de janeiro de 2008 | 12h31

Pelo segundo dia consecutivo, o atacante Marcos Aurélio e o volante Rodrigo Souto não compareceram ao treino do Santos desta sexta-feira, contrariando a expectativa da comissão técnica e dos dirigentes do clube, aumentando assim a expectativa pela transferência de ambos para outro time - como o Palmeiras, agora sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. Veja também: Fábio Costa fica e fala em encerrar a carreira no Santos Marcinho Guerreiro: joelho zerado e pronto para as críticasPara evitar problemas, ninguém no clube se pronuncia até o momento sobre alguma medida a ser tomada. O técnico Emerson Leão, em entrevista coletiva na quinta, evitou comentar o assunto, mas espera que a renovação automática do contrato dos jogadores que o time executou no fim do ano seja cumprida. Caso contrário, o time da Baixada deve entrar na Justiça contra ambos. Nem Anselmo Paiva, agente de Souto, está atendendo aos jornalistas que o procuram. Cogita-se que o Corinthians também estaria interessado em sua contratação. Sobre o caso de Marcos Aurélio, o presidente Marcelo Teixeira estaria irritado com o fato dele ter acertado tudo no ano passado - principalmente um aumento salarial - e não ter aparecido ou dado satisfação sobre sua falta.REFORÇO TREINA, MAS NÃO FALANesta sexta-feira pela manhã o time do Santos novamente fez um treino físico no CT Rei Pelé. Os jogadores correram em volta do campo e fizeram mais exames médicos. O zagueiro Evaldo já treinou e correu no campo, mas ainda não assinou o contrato, pois está sem a liberação do FC Tokyo. Na segunda-feira ele deve ser apresentado oficialmente. O fim de semana não será de folga para o time. Os jogadores treinam em dois períodos no sábado e no domingo de manhã, daí sendo liberados para voltar na segunda. Todos os treinos serão no CT em Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.