Arquivo/AE
Arquivo/AE

Marcos culpa ansiedade por fase ruim do Palmeiras

'Nosso time tem mostrado uma ansiedade de matar o jogo logo', afirma o goleiro palmeirense

AE, Agencia Estado

23 de outubro de 2009 | 12h34

O goleiro Marcos atribuiu a má fase do Palmeiras no Campeonato Brasileiro à ansiedade do time durante as partidas. Para o experiente jogador, a equipe tem entrado em campo tentando "matar" os jogos, e por isso vem sendo vítima de seus próprios erros.

Veja também:

linkBelluzzo: 'Não existe ciúme por salários no Palmeiras'

linkPresidente do Palmeiras cogita intervir no trabalho de Muricy

linkMeia Cleiton Xavier ficará 30 dias afastado no Palmeiras

forum BATE-PRONTO - Para ser campeão, não pode 'pipocar'

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Nosso time tem mostrado uma ansiedade de matar o jogo logo. Antes, o time defendia bem, atacava pouco e marcava. Agora a gente está se preocupando muito em atacar e defendendo pouco. Aí erramos, saímos atrás no placar e não conseguimos recuperar", disse o goleiro nesta sexta-feira.

O Palmeiras lidera o Campeonato Brasileiro com 54 pontos, quatro a mais que o Atlético-MG, que tem um jogo a menos. A próxima partida do clube paulista será apenas na quinta-feira, contra o Goiás, no Palestra Itália. Para Marcos, a semana inteira de intervalo entre jogos pode fazer bem à equipe."Temos que continuar trabalhando e usar esse tempo para manter o time mais unido, para conversar mais e ver os defeitos que podem ser corrigidos", afirmou o goleiro. Questionado sobre qual é o adversário mais difícil na luta pelo título, ele preferiu falar sobre o próximo rival.

"É o Goiás. O maior adversário é sempre o próximo. Em um campeonato tão difícil quanto esse, temos que pensar sempre na próxima partida. Nosso pensamento e concentração exclusiva devem ser no jogo contra o Goiás", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.