Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Marcos garante que não cometeu falhas

O empate do Palmeiras com o Santo André, por 3 a 3, no péssimo gramado do estádio Bruno José Daniel, acabou sendo considerado bom pelos palmeirenses. A justificativa não foram as falhas do goleiro Marcos nos dois primeiros gols do time do ABC, mas a falta de condições do campo. "A bola bateu no chão e ninguém pegava. Ficou difícil tocar a bola", comentou o meio-campo Magrão, acompanhado de perto por quase todos os companheiros. O único que estava arredio era Marcos, que não gostou de ter ouvido que tinha falhado nos dois primeiros gols. "Sempre é assim. A bola entra e vocês falam que eu falhei. No primeiro lance, o cara pegou bem na bola e no segundo, todos viram, a bola desviou na barreira", argumentou, em tom ríspido. O técnico Jair Picerni estava mais calmo e avaliou o resultado de maneira positiva. "Tivemos tudo para vencer, mas cometemos uns errinhos na defesa. Seria bom vencer, mas o empate está bom porque temos o segundo jogo", comentou. O segundo jogo será realizado, na capital, dia 19, mas agora o Palmeiras volta a se preocupar com seu próximo compromisso no Campeonato Brasileiro, contra o Cruzeiro, domingo, no Mineirão. A expectativa é pela manutenção da boa fase, mesmo porque o time venceu seus dois últimos jogos com facilidade. Marcou 4 a 0 sobre o Corinthians e 3 a 0 em cima da Ponte Preta. Do lado do Santo André, o técnico Péricles Chamusca dava bem o tom do que vai acontecer no segundo jogo, dia 19, no Parque Antártica: "Será muito difícil, porque será no campo deles. Mas nós vamos tentar vencer para ficar com a vaga". Pelo Campeonato Brasileiro da Série B, o Santo André terá um jogo duro sábado, em Marília. E terá que superar o prejuízo no STJD, onde perdeu 12 pontos, na sessão de terça-feira pelo uso irregular de dois jogadores. O time está, no momento, com oito pontos negativos e terá que se recuperar para evitar o rebaixamento para a Série C.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.