Marcos já admite sair do Palmeiras

Marcos vive situação curiosa no futebol. Não festeja bons resultados há cinco anos - com exceção do penta em 2002 -, mas segue firme na seleção brasileira e dificilmente ficará fora do grupo que vai à Copa do Mundo, em 2006. Entre os atletas do time de Carlos Alberto Parreira, o goleiro é um dos que obtiveram piores resultados nas temporadas mais recentes. Não por sua culpa, mas pelos problemas enfrentados por seu time, o Palmeiras.O clube, aliás, poderá perdê-lo caso alguma proposta da Europa apareça. Ao contrário do que dizia pouco tempo atrás, Marcos admite analisar ofertas para deixar o Palestra Itália. Sabe que, aos 31 anos, está se aproximando da aposentadoria e, por isso, uma experiência nova não seria ruim. Para tanto, porém, ressalta que o convite precisa ser interessante.De qualquer maneira, garante não se arrepender de ter recusado a ótima proposta do Arsenal, da Inglaterra, há dois anos, para deixar o País. "Tudo o que eu faço é bem pensado, achei que, para mim, era melhor ficar", declarou Marcos em entrevista à Agência Estado, com o habitual bom humor, só deixado de lado após as falhas da zaga palmeirense. O goleiro ficará na reserva de Dida, domingo, contra o Paraguai, no Beira-Rio, em Porto Alegre, pelas Eliminatórias.Agência Estado - Não se sente incomodado por chegar à seleção sem comemorar um título há tanto tempo? A maioria dos jogadores obteve bons resultados em seus clubes.Marcos - Não, não há nada de anormal. Não há como ser campeão em todos os anos. Vários jogadores que estão aqui não ganharam nada neste ano.AE - A pressão no Palmeiras é cada vez maior, por causa dos resultados ruins. Não se sente aliviado quando se junta à seleção? Marcos - Para mim, não é um alívio vir para a seleção. Aqui não é só festa, a pressão também é grande. Não se trabalha com a hipótese de resultados que não sejam de vitória. Basta ver pelos treinos. Os torcedores ficam na grade reclamando de jogadas erradas...AE - O que pensa da lista de dispensas feita pelo Palmeiras? Marcos - É normal. Se o time não consegue resultados, o clube dispensa mesmo.AE- Se receber alguma proposta, deixa o Palmeiras ou mantém o pensamento de permanecer no clube de qualquer jeito?Marcos - Se chegar uma proposta, vou conversar com minha família, ver com meus filhos. Posso sair, posso resolver ficar. Mas não tenho proposta. E sondagem não adianta nada. Já tive mil sondagens...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.