Marcos não deve enfrentar Fluminense

A escalação de Marcos no gol do Palmeiras na partida de domingo contra o Fluminense em Teresina, pelas quartas-de-final da Copa dos Campeões, não está confirmada. O jogador treinou nesta terça-feira à tarde junto com os jogadores reservas (os titulares exercitaram-se em uma academia de ginástica), mas deixou o campo reclamando das mesmas dores no pé direito que o incomodaram durante a Copa do Mundo. "A vontade de jogar é muito grande, mas a dor que sinto está me incomodando", disse, enquanto atendia a quase uma centena de torcedores ávidos por um autógrafo. O goleiro também quis evitar entrar em atrito com o reserva Sérgio, de quem é muito amigo. Mantendo o discurso adotado desde que chegou à capital do Piauí, há uma semana, ressaltou que não quer atrapalhar o trabalho do treinador Vanderlei Luxemburgo. "É evidente que eu quero voltar o mais rápido possível, mas não sou eu quem vai decidir quem vai entrar em campo." Após a vitória do Palmeiras sobre o Atlético Mineiro por 2 a 1, domingo, o próprio Sérgio já falava como reserva. "Acho que cumpri bem o meu papel nesta Copa dos Campeões." Visivelmente mal-humorado, Luxemburgo conversou rapidamente com a imprensa. A presença de repórteres que não estavam cobrindo o dia-a-dia do clube desde o início da Copa dos Campeões fez com que alfinetasse, ainda que indiretamente, São Paulo e Corinthians, eliminados da competição na primeira fase. "Engraçado como tem gente nova chegando aqui. Está acontecendo com o Palmeiras o mesmo que ocorreu com a seleção brasileira. Ninguém acreditava e vocês viram no que deu." Passada a crise de ciúme, Luxemburgo voltou suas farpas contra a organização da Copa dos Campeões. E novamente reclamou do fato de ter de permanecer uma semana em Teresina para enfrentar o Fluminense. "Não posso fazer nada se a televisão determina o dia e horário em que teremos que atuar. Lutamos para terminar em primeiro lugar na chave para enfrentar nosso adversário na quarta-feira. Mas aqui é assim, quem paga determina. O futebol brasileiro é forte apenas dentro de campo, como a seleção mostrou recentemente." Perguntas sobre a formação do time que vai jogar no fim de semana também não foram muito bem recebidas pelo treinador. "Não tenho obrigação de dar a escalação hoje. Faltam vários dias para a partida. Até lá, pode acontecer muita coisa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.