Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Marcos quer atingir marca de 500 jogos pelo Palmeiras

Boa fase estimula goleiro, de 35 anos, a continuar no clube alviverde, onde está por mais de 16 anos

AE, Agencia Estado

20 de setembro de 2008 | 11h09

Às vésperas de completar o jogo de número 400 com a camisa do Palmeiras, o goleiro Marcos lembrou das conquistas pelo clube e afirmou não descartar a renovação do contrato, que vai até dezembro de 2009. "Estou vivendo o dia-a-dia e trabalhando para fazer o melhor. Se eu continuar desse jeito, até posso pensar em renovação. Vou trabalhar para chegar aos 500 jogos", afirmou o jogador, de 35 anos. Veja também:Burocracia e pecuinhas atrasam o início da reforma do PalestraVasco entra com ação na Conmebol contra o PalmeirasPara Luxemburgo, Vasco terá outra postura no domingoPalmeiras: Thiago Cunha é fruto de contrato com 'laranja' Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão"Esse clube me deu tudo e mais um pouco. Estou há 16 anos aqui e sempre fui muito bem tratado. Só tenho que agradecer e, se tem alguém que me deve alguma coisa, sou eu ao Palmeiras. Tentei e continuo tentando retribuir com minhas atuações dentro de campo. É emocionante passar tudo o que eu já passei aqui", declarou o goleiro em entrevista coletiva, na sexta-feira.Perguntado sobre as mudanças que sente em relação ao começo da carreira, Marcos disse que tem disposição para conquistar mais títulos. "A principal mudança é que hoje eu só tenho platina onde antes era osso", brincou o jogador. "Sinceramente, acho que não mudou muita coisa. Claro que estou mais experiente e perdi um pouco da minha agilidade. Mas a vontade e a disposição de jogar e ser campeão são as mesmas".Em relação aos títulos que mais marcaram o atleta, o goleiro lembrou da Série B, vencida em 2003. "A Libertadores, pela dimensão que teve, certamente ficou marcada, mas eu não desmereço a Série B, como muitos fazem. Só quem esteve lá dentro de campo sabe o quanto a gente batalhou. Coloco no currículo com muito orgulho. Aquele momento foi muito importante".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasMarcos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.