Cesar Greco / SE Palmeiras
Cesar Greco / SE Palmeiras

Exames de Marcos Rocha e Jorge não apontam lesões e tranquilizam Palmeiras para sequência

Dupla passa por exames nesta terça-feira, na Academia de Futebol, mas resultados não despertam preocupação à Abel Ferreira

Redação, Estadão Conteúdo

14 de junho de 2022 | 16h20

Após deixarem o jogo contra o Coritiba, no domingo, com sinais de problemas físicos, os laterais Marcos Rocha e Jorge passaram por exames na manhã desta terça-feira, dia da reapresentação do Palmeiras, e os resultados foram tranquilizadores. Segundo a avaliação feita pelo Núcleo de Saúde e Performance do clube alviverde, os dois jogadores não apresentam nenhum tipo de lesão.

Marcos Rocha deixou o gramado do Couto Pereira ainda aos 28 minutos do primeiro tempo, com um incômodo, por isso deixou a torcida preocupada. No fim das contas, o experiente lateral-direito teve constatada somente uma dor muscular na coxa direita. Já o lateral-esquerdo Jorge, que foi substituído aos sete minutos do segundo tempo, sofreu um trauma no joelho direito e ficará em observação.

Enquanto a dupla passava pelos exames, os jogadores que atuaram por mais de 45 minutos na capital paranaense ficaram na parte interna do centro de excelência do clube, onde realizaram atividades regenerativas. Os demais atletas participaram de trabalho técnico em campo reduzido, com foco em posse de bola.

Gustavo Gómez, de volta a São Paulo após servir a seleção do Paraguai na última Data Fifa, participou das atividades, assim como o lateral-direito Mayke, ainda em processo de transição física. O meia Raphael Veiga, por sua vez, continua se recuperando de uma lesão na coxa direita, assim como Jailson, que está com um problema no joelho direito.

DUDU HOMENAGEADO

Além da preparação para enfrentar o Atlético-GO, em jogo marcado para quinta-feira, no Allianz Parque, a terça foi marcada por uma homenagem ao atacante Dudu. A presidente Leila Pereira entregou ao ídolo palmeirense uma placa de comemoração pelos 250 jogos realizados por ele vestindo a camisa alviverde.

"Até arrepio em falar. Quando cheguei em 2015 nunca imaginava isso, viver isso num clube tão grande como o Palmeiras. Vejo os rankings e são só jogadores de muitos anos de clube, fico feliz por isso. Meu objetivo é primeiro pensar no clube, depois no individual. Mas é importante ter esses recordes para marcar o nome na história", disse o atacante.

Dudu, que também recebeu uma camisa com o número 350 às costas, aproveitou a ocasião para falar sobre o próximo compromisso do Palmeiras, líder do Brasileirão, com 21 pontos. "O Atlético-GO é um adversário duro, difícil de se enfrentar, vem crescendo na competição. Nossas pretensões dentro do campeonato são muito grandes, então temos que passar por esses adversários. Contamos com o apoio da nossa torcida", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.