Marcos: 'Título do Paulistão coroaria meu retorno'

Ídolo do Palmeiras, jogador festeja a volta ao gol da equipe depois de dois anos de lesões e problemas físicos

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

26 de abril de 2008 | 14h54

Maior ídolo do atual elenco palmeirense, Marcos afirmou que o título do Campeonato Paulista coroaria o seu retorno ao clube. O goleiro recuperou a posição de titular depois de enfrentar problemas físicos e contusões nos últimos anos. Veja também: Vote: qual time vai ser o campeão de 2008?  Serviço: para quem vai à final Ponte Preta x PalmeirasEm entrevista ao Estado, Marcos fala de seu sentimento por retornar a uma final. Neste domingo, o goleiro defende o Palmeiras na primeira partida da decisão, contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, neste domingo, às 16 horas. Estado - Você fazia parte do time campeão em 1996, o último título paulista. O que lembra daquela época? Havia ansiedade antes do jogo que garantiu o título (contra o Santos, na penúltima rodada do torneio por pontos corridos)? E você imaginava naquele ano que iria se tornar um dos ídolos da torcida e chegar aonde chegou?Marcos - Qualquer véspera de decisão rola uma ansiedade, isso é natural de qualquer pessoa, seja em qualquer acontecimento e segmento da vida. Naquela época a expectativa era menor, pois o Palmeiras já vinha de uma seqüência de títulos, mas a vontade de ser campeão é sempre a mesma. Em 1996, eu havia tido poucas chances como titular e tinha como meta ser o que era hoje. Mas acho que acabei extrapolando um pouco os limites [risos], pois consegui títulos muito importantes. Em 1999, última vez que o time chegou à final do Estadual, você era o titular do Palmeiras. Na decisão contra o Corinthians passava pela sua cabeça alguma imagem que fizesse referência a 96?Não, até porque eram momentos e situações diferentes. Aquele time de 1996 estava sobrando na competição e a gente até poderia perder para o Santos que, na rodada seguinte, tinha chance de ser campeão. Em 99 era disputa de Taça Libertadores e ainda mais contra o rival. Além disso, era um título que o palmeirense e todos nós jogadores sempre ambicionávamos. Como é voltar a participar de uma final de campeonato? E sentir que, após anos, o Palmeiras finalmente montou um time competitivo e com reais chances de título...É verdade, após bastante tempo o Palmeiras montou um time que volta a empolgar seu torcedor. Hoje a gente chega às competições com aquele sentimento de que dá para chegar ao objetivo final. Para mim é uma alegria imensa poder disputar uma decisão. Passei dois anos de muita dificuldade, de uma série de lesões, e aquilo tudo foi muito difícil e doloroso para mim. Mas graças a Deus consegui dar a volta por cima e a conquista certamente coroaria o meu retorno aos gramados. O que você pode falar sobre Aranha, o goleiro adversário? Alguma vez já conversou com ele? O Aranha é uma pessoa humilde e que sabe se comportar sempre com muita personalidade e caráter. Fez um excelente Paulista, não apenas naquela partida contra o Guará, quando fechou o gol, mas no campeonato inteiro. Temos de nos preocupar com ele e com a excelente equipe da Ponte, que chegou até aqui porque teve méritos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.