Miguel Riopa / AFP
Miguel Riopa / AFP

Marega, do Porto, desabafa após sofrer racismo: 'Me deram amarelo por defender minha cor'

Torcedores do Vitória de Guimarães tentaram acertar cadeira no atleta, que se retirou de campo

Redação, Estadão Conteúdo

17 de fevereiro de 2020 | 04h30

O atacante Moussa Marega, do Porto, utilizou as redes sociais para desabafar após ser vítima de racismo durante um jogo da sua equipe e o Vitória de Guimarães pelo Campeonato Português. O jogador malinês demonstrou inconformismo com a situação e reclamou da atitude dos árbitros durante a partida.

Marega ouviu cantos racistas da torcida adversária durante a partida e, ao marcar o segundo gol do Porto, apontou para a própria pele em frente aos fãs do Vitória de Guimarães. O jogador, então, foi alvo de uma cadeira atirada por eles. Isso o revoltou ainda mais e fez com que ele reclamasse junto ao juiz, levando cartão amarelo, e deixasse o campo na sequência.

"Gostaria apenas de dizer a esses idiotas que vêm ao estádio fazer gritos racistas ... vá se f***. E também agradeço aos árbitros por não me defenderem e por terem me dado um cartão amarelo porque defendo minha cor da pele. Espero nunca mais encontrá-los em um campo de futebol! Vocês são uma vergonha!", escreveu o jogador, que recebeu apoio de colegas de time nos comentários.

O Porto se manifestou através de nota oficial, afirmando que apoia o jogador e estará na linha de frente do combate ao racismo. Outros times portugueses, como Benfica, Braga e Rio Ave também utilizaram a internet para demonstrar repúdio ao ocorrido. O presidente do Vitória de Guimarães, Miguel Pinto Lisboa, afirmou que o clube irá punir os torcedores se conseguir identificá-los, mas que Marega teve 'atos provocatórios'. A Liga portuguesa, que organiza o torneio, afirmou que fará o possível para que os atos não saiam impunes, sem esclarecer quais sanções pretende aplicar.

Na partida, o Porto venceu por 2 a 1 - o gol de Marega foi o da vitória, que deixou a equipe apenas um ponto atrás do líder Benfica na tabela de classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.