Marília balança, mas ainda tem esperança

A segunda derrota seguida do Marília para o Palmeiras, sábado no Parque Antártica, quase provocou uma medida extrema e emocional dos dirigentes do Marília: a demissão do técnico Luiz Carlos Ferreira. Aparentemente a idéia foi abandonada neste domingo, mesmo porque todos acreditam que o time ainda têm chances para garantir o acesso tendo como maior aliado o seu maior inimigo, justamente, o Palmeiras. O polêmico Ferreira aproveitou o domingo para ficar ao lado da família, na cidade de Leme. E diz ter recebido, pela manhã, apoio de vários dirigentes, entre eles do presidente José Roberto Mayo. "Estou tranqüilo. E ainda muito animado, porque a chance de subir está praticamente em nossas mãos. As derrotas para o Palmeiras foram normais, porque é sem dúvida o melhor time da Série B e desde o início favorito ao acesso", diz Ferreira, lembrando aos marilienses que os adversários atuais são diferentes daqueles do passado, como "Tanabi ou Lemense". E valoriza os concorrentes: "Estamos brigando com Palmeiras, Botafogo e Sport, todos grandes forças do futebol brasileiro". Beto Mayo estava inquieto nos vestiários, sábado à noite, mas adiantava que não tomaria qualquer atitude sozinho. "Todo diretoria está aí, inclusive o Luizinho (Luizinho Duarte) que é o presidente da American Sports", empresa que administra o futebol bem sucedido do clube. O domingo também é de decisão para o Marília-B, que à tarde decide com o Ituano, em Itu, uma vaga na final da Copa Estado de São Paulo. O técnico Paulo Sérgio Tognasini seria o substituto natural de Ferreira, em caso de mudança. Contas fáceis - Mas os planos de mudar a comissão técnica foram praticamente abandonados após os cálculos que mostram que o time está ainda bem vivo dentro do quadrangular. A matemática é simples e até apresenta alternativas. Lanterna do quadrangular, com dois pontos, o Marília precisa vencer seus dois últimos jogos, contra o Botafogo, no próximo final de semana em Niterói, e depois o Sport Recife, em Marília, com o time paulista chegando aos oito pontos. O auxílio do Palmeiras seria simples: não perder do Botafogo, que chegaria aos seis pontos e poderia até perder para o Sport, que chegaria aos sete pontos. O time se apresenta nesta segunda-feira, quando então pensará no jogo contra o Botafogo. O zagueiro Andrei e o volante Everaldo, que cumpriram suspensão por cartões amarelos, estarão de volta. O departamento médico também deve liberar o volante Zé Luis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.