Marília bate a Portuguesa por 3 a 1

A Portuguesa não foi feliz nesta sexta-feira à noite, no interior paulista. Perdeu para o Marília por 3 a 1 e foi ultrapassado pelo adversário na classificação do Grupo B, no total de gols marcados (estão empatados com três pontos, mas o Marília marcou três gols, contra dois da Lusa). A promessa de Giba em colocar a Portuguesa no ataque, mesmo fora de casa, valeu apenas nos minutos iniciais. O time teve tranqüilidade de tocar a bola no meio e acionar a velocidade do atacante Johnson. Duas arrancadas que assustaram a defesa do Marília. A melhor delas, aos 4 minutos. O angolano cruzou, Leandro Amaral arriscou uma bicicleta desengonçada e a bola sobrou limpa para Almir. Mas o volante Marcelo Rosa cortou. Antes disso, a Lusa já havia marcado com Leandro Amaral, mas o juiz Cléber Wellington Abade, equivocadamente, deu impedimento.O Marília não se encontrava em campo no começo. Mesmo assim, o time ?achou? um gol. O goleiro Guto bateu tiro de meta e a bola chegou até os pés de Chico Marcelo. O atacante invadiu a área, deu um corte em Silvio Criciúma e bateu mascado. Gléguer aceitou.A Lusa bambeou. A bola do Marília começou a chegar nos pés de Anaílson e o meia trocava passes de um lado para o outro, envolvendo o rival. Aos 16, o cabeceio de Marcelo Rosa passou rente à trave esquerda de Gléguer. Quase 2 a 0. O time da casa deixou escapar a chance de definir o jogo e não evitou o empate da Lusa, aos 29. Wilton Goiano disparou pela direita, foi até a linha de fundo e, mesmo desequilibrado, cruzou para o mergulho certeiro de Johnson: 1 a 1.Então foi a vez de o Marília sentir o golpe. Nas arquibancadas, o torcedor trocou o grito de apoio pelo de revolta. Exigia raça, mas não era o que acontecia em campo. Aos 32, a equipe até teve a chance de marcar, não fosse a indefinição dos atacantes na hora de finalizar. O gol veio no início do segundo tempo. E rápido. Em 12 segundos. Júlio César avançou pela esquerda, tocou para Chico Marcelo, que só rolou para a chegada de Marcelo Rosa, que bateu rasteiro, no canto direito do goleiro Gléguer.A Lusa foi à lona. Aos 11, Almir foi expulso. Imediatamente, Giba sacou Cléber e colocou o volante Emerson. A opção do técnico em reforçar a marcação acabou com o ataque da equipe. Aos 45, o Marília ampliou, em cobrança de falta perfeita de Elvis.Na próxima rodada, dia 30, a Lusa encara o Náutico, em Recife, e o Marília joga com o Guarani, em Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.