Marília encerra greve de jogadores e empata amistoso contra o Oeste

Com dois meses de salários atrasados, os jogadores do Marília optaram por entrar em greve no último sábado reivindicando seus diretos junto a diretoria do clube. Após uma série de encontros, foi definido que os atletas voltariam aos treinos normalmente, tanto é que já realizaram um jogo-treino nesta quinta-feira e ficaram no empate por 0 a 0 diante do Oeste. O advogado da Sprimg Sports, Adilson Magosso, garantiu que o clube quitará parte dos vencimentos ainda nesta semana.

Estadão Conteúdo

22 de janeiro de 2015 | 21h33

Para isso, os dirigentes aguardam o pagamento da primeira parcela da cota de R$ 2,4 milhões das transmissões da TV do Paulistão. A parcela gira em algo em torno de R$ 600 mil. Metade está bloqueada pela Justiça do Trabalho de Marília, por conta de dívidas anteriores. Os demais R$ 300 mil seriam destinados para abater a dívida com o elenco atual.

Outro motivo utilizado pelos jogadores para encerrar a greve foi a preocupação com a preparação, visando o Campeonato Paulista. Os atletas temem ficar atrás dos adversários em termos de condicionamento físico, já que o torneio é considerado de suma importância para poderem cavar uma vaga em clubes da Série A e B do Campeonato Brasileiro.

Esta foi a segunda greve em menos de 30 dias, já que no final de 2014 o elenco do Marília também se recusara a treinar por falta de pagamentos. A nova confusão acontece a 13 dias da estreia do clube no Paulistão, quando enfrentará o Corinthians, no Itaquerão, no dia 1.º de fevereiro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoMarília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.