Marília pode escalar goleiro como jogador de linha no Paulistão

Último colocado, com apenas dois pontos, já rebaixado e sem nenhuma vitória, o Marília pode dar o seu maior vexame no Campeonato Paulista justamente na última rodada classificatória. O técnico Bruno Quadros pode ser obrigado a escalar um goleiro como jogador de linha contra o São Bernardo, na quarta-feira, no estádio Primeiro de Maio, no ABC Paulista.

Estadão Conteúdo

06 de abril de 2015 | 20h33

Com nove dispensas desde o início da competição, o Marília conta com apenas 19 jogadores em seu elenco. O problema é que o lateral-direito Weslen, o zagueiro Braga e o volante Vítor Cruz já estão vetados pelo departamento médico há três rodadas. Além disso, Thiago Gomes e Leomir estão em tratamento e ainda não têm presenças confirmadas. Somam-se a eles as suspensões de Evandro Pantaneiro, expulso, Juninho Ortega e Bruno Farias, com três cartões amarelos, restando exatos 11 jogadores com reais condições de jogo.

Segundo a Regra 3 da Fifa, um time de futebol pode iniciar uma partida com no mínimo seis jogadores na linha mais um no gol. Ou seja, caso Thiago Gomes ou Leomir não se recuperem, o técnico Bruno Quadros pode optar pela escalação de um de seus goleiros - Rodrigo Calchi ou Marcos Galletti - na linha ou até mesmo entrar em campo com um jogador a menos desde o início.

Com atrasos salariais desde o ano passado e sem nenhuma premiação paga até agora, o Marília precisou rescindir os contratos do goleiro Marcelo, do lateral Gil Bahia, dos zagueiros Guilherme Moreira e Alex Bruno, dos volantes Gilberto Souza e Boquita, do meia Caíque e dos atacantes Wellington Silva e Reis.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMaríliagoleiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.