Marília se diz retaliado por Danelon

A direção do Marília reagiu com indignação às acusações do árbitro Paulo José Danelon de que a Federação Paulista de Futebol (FPF) protege o time do interior, aparentemente por interesses políticos. O vice-presidente José Roberto Mayo, visivelmente revoltado, garante que não existe nenhum tipo de proteção ao clube e diz que o árbitro está fazendo "retaliação, porque nós fizemos duas reclamações por escrito contra ele na Federação".Beto Mayo cita dois casos de prejuízo com Danelon. O primeiro aconteceu na última rodada de classificação do Campeonato Paulista de 2004, quando o Marília jogava em casa precisando vencer o Oeste, mas perdeu por 1 a 0, mesmo com o adversário já rebaixado para a Série A2. O beneficiado seria o São Caetano, que se classificou e depois conquistou o título da temporada. "Mandamos um protesto por escrito, colocando sob grande suspeita aquela arbitragem", garante Mayo, que na época era o presidente do Marília.Outro fato é mais recente, ainda pela fase de classificação do Campeonato Brasileiro da Série B, no jogo em que o Marília perdeu para o Ituano, por 2 a 1, em Itu, no dia 13 de agosto. "Nós fomos literalmente roubados", acusa Beto Mayo, lembrando que Danelon expulsou o zagueiro Gian com 20 minutos de jogo e passou o tempo todo provando os jogadores. "O Gian foi expulso porque falou para o juiz que daquela forma estava difícil jogar...", lembra o dirigente, citando ainda que o juiz "ficou o tempo todo provocando e xingando seus jogadores, inclusive de vagabundos" o que lhe valeu um novo protesto formal do clube junto à FPF, uma vez que nos confrontos entre clubes do mesmo Estado os árbitros são da própria entidade.Beto Mayo assegurou também que seu clube "não é protegido" pela FPF e nem pela CBF. Citou que em 2003 foi prejudicado no quadrangular final da Série B a favor de Palmeiras e Botafogo-RJ, que acabaram retornando à elite nacional. Nesta temporada, pelo terceiro ano seguido, o Marília chegou à segunda fase da Série B, que reúne os oito melhores times da competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.