Marília tenta reação contra o Botafogo

"Agora é tudo ou nada. Só a vitória nos interessa". Essa declaração feita pelo técnico Luiz Carlos Ferreira resume bem qual é o clima vivido pelo Marília, para o jogo contra o Botafogo, neste sábado, às 21h40, em Niterói, pelo quadrangular final do Campeonato Brasileiro da Série B.Os jogadores sabem que qualquer resultado diferente da vitória acabará com o sonho do acesso para o time do interior paulista. "Estamos cientes de que a pressão lá será muito forte, mas o time se preparou para buscar os três pontos. Tomaremos todos os cuidados para que nosso objetivo, que é a vitória, seja conquistado", disse o lateral-direito Claudemir, que ganhou a vaga de Rogério Souza.Após as duas derrotas de 2 a 0 para o Palmeiras, que inclusive fizeram o técnico Luiz Carlos Ferreira "balançar" no cargo, a equipe mariliense passou a precisar da vitória nos dois jogos restantes - jogará contra o Sport, além do Botafogo. Além disso, ainda terá que torcer para que o Palmeiras não perca dos concorrentes.Fé e dúvida - Com a intenção de elevar o moral e a concentração do grupo, o elenco passou dois dias em Taubaté se preparando para o confronto decisivo em Niterói. O grupo aproveitou a concentração no Vale do Paraíba para assistir a uma missa na Basílica de Aparecida do Norte. "Ter fé nessas horas é um fator positivo", garantiu Ferreira.Em relação ao time, ele afirmou ter uma dúvida. O zagueiro Wladimir sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo contra o Palmeiras e pode ser desfalque. Caso isso aconteça, Adeilson será titular ao lado de Andrei.No entanto, o principal desfalque estará no gol. Mauro cumprirá suspensão pelo terceiro amarelo e será substituído por Pedro Paulo. As laterais também terão duas mudanças. Além da entrada de Claudemir na direita, o ala-esquerdo Bill ganhou lugar de Galego, barrado por ter feito insinuações sobre um possível acordo entre Marília e Botafogo na segunda fase.No meio-campo, Ferreira deverá fazer três mudanças. Os volantes Zé Luiz, recuperado de contusão, e Everaldo, que cumpriu suspensão, substituem Adilson e João Marcos. O meia Juca deve ganhar a vaga de Eder, para atuar ao lado de Bechara. No ataque, os experientes Basílio e Camanducaia serão mantidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.