Marília volta aos treinos após raio

Os jogadores do Marília voltaram aos treinamentos nesta quarta-feira depois do susto causado por um raio, que interrompeu o treino do dia anterior no Yara Park. A descarga elétrica atingiu com mais força ovolante Adilson, que ficou desacordado, e o auxiliar de preparação física Carlos Eduardo Soares, que sofreu dois desmaios e enrolou a língua. "Agora estou bom, mas na hora a gente pensa que o mundo vai acabar. Graças a Deus foi um susto", disse o preparador físico, que é sobrinho do técnico da Ponte Preta, Estevam Soares. Em Campinas, Estevam pensou até no pior. "Só soube disso de manhã e liguei para meu irmão em Cafelândia", disse o técnico, irmão de Bô, ex-zagueiro do Comercial na década de 70. O volante Adílson treinou normalmente, sem nada sentir. "Acho que o problema maior foi mesmo o susto." Para o presidente José Roberto Duarte Mayo, tudo não passou de "uma fatalidade sem maiores proporções". O técnico Flávio Lopes, mais calmo, até brincou com a situação. "Tomara que este raio traga energia para nosso time." Depois de perder em casa para o Santo André, por 4 a 2, o Marília tentará a reabilitação contra o Ituano, domingo, em Itu. A diretoria confirmou a liberação do meia Clayson Rato, que estava insatisfeito com a reserva. A American Sport, empresa que administra o clube, tentou emprestá-lo para clubes do interior paulista. Ele diz que está acertando com o Paysandu. Se não der certo espera defender algum time de Pernambuco.

Agencia Estado,

03 de março de 2004 | 18h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.