Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Marin é único cartola a entrar com recurso e diz que aceita ir a hospital

Autoridades de Zurique diz que não têm bracelete eletrônico

Jamil Chade - Correspondente em Zurique, O Estado de S. Paulo

11 de junho de 2015 | 16h39

José Maria Marin foi o único dos sete cartolas detidos na Suíça pelas denúncias de corrupção na Fifa que entrou com um recurso para aguardar o processo de extradição aos EUA em liberdade condicional. O dirigente brasileiro aceitaria ir a um hospital, alegando problemas de saúde. Seus advogados ainda ofereceram garantia financeira, o que não é suficiente para liberá-lo. 

Marin tem 83 anos. Até o dia 16 de abril ele comandava a CBF, que agora está nas mãos de Marco Polo del Nero Pelo sistema prisional suíço, são os médicos da Justiça que decidem se o preso precisa se tratar em um hopsital.

Marin foi preso num hotel em Zurique dia 27 de maio, antes da eleição de Joseph Blatter para seu quinto mandato. Antes também da renúncia do cartola. Marin é acusado de corrupção e fraude nos Estadoa Unidos. 

A polícia da Suíça teme que Marin possa fugir do país. Ela alega não ter como monitorar o ex-presidente da CBF. Marin não tem casa na Suíça. Ele aguarda extradição para os EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.