Rafael Ribeiro/Divulgação
Rafael Ribeiro/Divulgação

Marin garante Mano na seleção brasileira e diz que 'não há razão para mudar'

Presidente da CBF havia deixado a possibilidade de troca no comando após a perda do ouro na Olimpíada

GLAUBER GONÇALVES, Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 18h34

RIO - O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, afirmou nesta terça-feira que a entidade não pretende demitir o técnico da seleção brasileira, Mano Menezes. Ele, porém, não garantiu a permanência do treinador no posto até a Copa do Mundo de 2014.

"Não há nenhuma razão para cogitar uma mudança no momento. Estamos no caminho certo", declarou Marin durante entrevista coletiva em que a MasterCard foi anunciada como nova patrocinadora da seleção.

Depois de o Brasil deixar escapar a medalha de ouro na Olimpíada de Londres este mês, surgiram especulações sobre uma possível saída de Mano. Apesar da derrota para o México na final, Marin disse que tanto o treinador, quanto sua comissão técnica e o diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, continuam "desfrutando de total confiança" em seus cargos.

A conquista da medalha de ouro olímpica era vista como principal aliada de Mano para dar mais sustentação ao seu trabalho na seleção brasileira, na qual ele ainda não conseguiu convencer e acumulou resultados negativos na maioria das partidas contra seleções do primeiro escalão do futebol mundial.

Marin, entretanto, deixou claro nesta terça-feira que segue valorizando o trabalho geral realizado por Mano, que assumiu a seleção brasileira após a Copa do Mundo de 2010, depois de Muricy Ramalho ter recusado uma proposta feita por Ricardo Teixeira, então presidente da CBF. O novo mandatário da entidade enfatizou que o técnico, sua comissão e Andrés Sanchez "terão tranquilidade para continuar trabalhando" na seleção, apesar da grande pressão por resultados sofrida pelo comandante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.