Marin nega 'desejo particular' de amistoso no Morumbi

Foi-se o tempo em que o São Paulo reclamava ser prejudicado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Com a renúncia de Ricardo Teixeira e a ascensão à presidência de José Maria Marin, o clube paulista virou o queridinho da entidade, uma vez que o mandatário do futebol paulista é são-paulino de carteirinha (literalmente). Nesta segunda-feira, Marin visitou o Morumbi, se emocionou, e negou que interfira favoravelmente ao seu time do coração.

AE, Agência Estado

18 de junho de 2012 | 21h03

A visita ao estádio tricolor era para tratar da organização do amistoso contra o Chile, em 7 de setembro. Desde que o São Paulo rachou com Ricardo Teixeira, o Morumbi não havia mais recebido a seleção, mesmo sendo o maior estádio da maior cidade do País. Marin, porém, nega favorecimento neste novo momento.

"Eu procurei apenas transformar em realidade o desejo de milhões de paulistas e brasileiros que vivem em São Paulo. Não é apenas o desejo particular do José Marin (...) Então, o melhor estádio de São Paulo, a melhor localização, o melhor local para o torcedor", disse Marin, ao site do clube tricolor.

Na página oficial do São Paulo, Marin fez propaganda velada do Morumbi, estádio que não estará na próxima Copa do Mundo. "Nós estamos olhando acima de tudo para o torcedor, que quer chegar o mais cedo possível e com maior facilidade ao estádio, que quer, após conseguir o ingresso com muita dificuldade, ver seu lugar garantido para assistir a partida, e quer, acima de tudo, quando trouxer o filho, a namorada, a mãe, ter a certeza de que vai chegar com segurança e sair com segurança."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCCBF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.