Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Marinho fica fora de estreia gremista para poder jogar Copa do Brasil pelo Santos

Atleta entrou na negociação que vai levar o zagueiro David Braz ao tricolor gaúcho

Redação, Estadão Conteúdo

23 de maio de 2019 | 09h26

A iminente contratação de Marinho pelo Santos levou o jogador a desfalcar o Grêmio em sua estreia na Copa do Brasil. Na noite de quarta-feira, o atacante ficou fora até do banco de reservas do time gaúcho em sua estreia no torneio nacional, no empate por 0 a 0 com o Juventude, no Alfredo Jaconi, no duelo de ida das oitavas de final.

Marinho é reserva no Grêmio com o técnico Renato Gaúcho, mas havia sido aproveitado no fim de semana, tendo entrado durante o segundo tempo da derrota por 2 a 1 para o Ceará, no Castelão, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Foi a sua 12ª partida na temporada, sendo que o atacante marcou quatro vezes em 2019.

A ausência de Marinho na estreia gremista na Copa do Brasil atende ao interesse do Santos, pois permite ao clube utilizá-lo na sequência da competição. O Santos já entrou em campo para o duelo de ida das oitavas de final, tendo empatado por 0 a 0 com o Atlético Mineiro, em Belo Horizonte.

O confronto de volta será em 6 de junho, no Pacaembu, sendo que o Santos deverá estar bastante desfalcado em função de convocações de estrangeiros do seu elenco para a disputa da Copa América, assim como a de Rodrygo para a seleção brasileira olímpica - o presidente José Carlos Peres tenta obter a liberação do atacante.

Marinho, aliás, é visto como uma opção para o técnico Jorge Sampaoli para repor a perda de Rodrygo, que vai se transferir ao Real Madrid para a temporada 2019/2020 do futebol europeu, pois costuma atuar aberto pelas pontas, função exercida pelo jovem atacante de 18 anos.

A contratação de Marinho, de 28 anos, pelo Santos faz parte de negociação do clube com o Grêmio pela liberação de David Braz, que estava emprestado para o Sivasspor, da Turquia, e chegará ao time gaúcho para reforçar o seu desfalcado sistema defensivo.

"É um atleta aguerrido, veste a camisa para honrar. Ele vai acrescentar muito caso a sua chegada se concretize. Eu creio que será uma vida importante ao elenco, fará muitos gols, principalmente para o Brasileirão, que é um campeonato longo", disse Felipe Jonatan, que foi companheiro de Marinho na sua passagem pelo Ceará.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.