Marinho: hora de ser o titular

Chegou a hora de Marinho mostrar por que foi contratado. Com seis meses de clube e apenas 11 jogos disputados, o zagueiro já foi confirmado pelo técnico Márcio Bittencourt como o substituto de Anderson, que foi para o Benfica. "Vou mostrar que não fui contratado só por ser amigo do Tite", diz o beque, referindo-se ao treinador que pediu sua contratação, em janeiro. Se depender de Marinho, o jogo contra o Fluminense, domingo, em Mogi Mirim, será só o primeiro de uma série. "Estou ganhando a oportunidade que ainda não tive aqui", diz o jogador. E garante: "Superei os problemas que tive." Foram muitos - sendo o mais grave deles, com certeza, o seqüestro de sua mãe, dona Alice Nazaré, de 62 anos. Ela ficou 25 dias em cativeiro até ser libertada em 28 de maio. De lá pra cá, Marinho voltou a treinar e até chegou a ficar no banco de reservas. Domingo, como titular, terá sua prova de fogo. "Claro que me falta um pouco de ritmo de jogo, mas tenho 29 anos e muita experiência. Não vai ser isso que vai me derrubar", diz o zagueiro, que passa a ser o jogador mais velho do time titular, com um ano a mais que o goleiro Fábio Costa. "É duro ter 29 anos e já ser chamado de vovô". Marinho diz também que não vai estranhar o esquema usado por Márcio, o 4-4-2. "Eu me destaquei em times que jogavam no 3-5-2, mas vou atuar na direita, o lado que gosto. Não terei problemas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.