Marinho volta no Corinthians, mas Carlão ainda é dúvida

Sem poder contar com o capitão Betão, suspenso, o retorno do zagueiro Marinho está confirmado no Corinthians para o clássico com o Palmeiras, no domingo, no Estádio do Morumbi. Barrado nos últimos quatro compromissos, o defensor está recuperado de uma fissura no rosto sofrida na derrota para o São Paulo, no dia 11 de fevereiro, e vai atuar ao lado de Gustavo."Sei que posso sentir um pouco o ritmo de jogo, mas clássico é sempre momento de sacrifício e de superação. Estou pronto. Já fiquei muito tempo sem jogar e estou à disposição do Leão para encarar este jogo", disse o camisa 4. "A zaga tem de entrar bem firme, sem se importar com o que os outros estão falando", completou o jogador, referindo-se às críticas que o setor vem sofrendo nas últimas partidas - o time do Parque São Jorge já sofreu 16 gols neste Estadual."É preciso mais respeito. Quando o time perde, a culpa é da defesa. Mas eles só contam os dois zagueiros, esquecem de dizer que os volantes não fizeram a cobertura, que os laterais deram espaço. Agora, quando ganha, o time foi bem. Nem lembram dos zagueiros, quando um time precisa de todos e o setor defensivo não é composto por apenas dois jogadores", desabafou Marinho, que disse não está preocupado com a falta de entrosamento com Gustavo."Joguei mais ao lado do Betão, mas também já atuei com o Gustavo. Não tem essa de escolher parceiro. Me dou melhor com quem estiver comigo", analisou. "Temos de fazer uma marcação forte, sem deixar o jogo descambar para a violência. Queremos que o clássico termine em paz. Acredito numa tarde inspirada, com concentração total para vencermos o Palmeiras."Já na lateral esquerda, Emerson Leão ainda não sabe se poderá contar com Carlão. O volante, que jogou improvisado na posição na vitória sobre o Pirambu (3 a 0) pela Copa do Brasil, levou uma pancada na canela da perna esquerda e faz tratamento intensivo para ser liberado. "O Carlão fez o que pedimos. Foi um terceiro zagueiro quando éramos atacados e, quando estávamos de posse da bola, saia como se fosse um ala. Ele resolveu o problema", disse o comandante corintiano, que tem como opção Wellington, que cumpriu suspensão na partida de quinta-feira.Mattos relembra dificuldadesUm dia após marcar um dos gols da vitória sobre o Pirambu, Marcelo Mattos lembrou o último encontro com o arqui-rival do Palestra Itália. No Brasileirão do ano passado, quando os dois times passavam por uma situação complicada e lutavam contra o rebaixamento, o volante marcou o gol da vitória por 1 a 0."Era um momento difícil. Até mais difícil que o atual, afinal nós estávamos brigando contra o rebaixamento. Naquela oportunidade, fiz o gol e ganhamos um fôlego extra para sair daquela situação. Espero fazer o mesmo agora", comentou Mattos. "Não é um momento tão critico, mas quem vencer vai ficar com mais chances de classificar, terá mais fôlego para seguir", acrescentou.Como é de praxe, o jogador comentou que a vitória no clássico deixará o Corinthians embalado para o restante do Paulistão. "Significa tudo [superar o adversário]. Na saída do estádio, se você ganhar, recebe os parabéns. Se perder, será vaiado, xingado. Sempre é bom vencer, ainda mais um clássico contra o Palmeiras, que mexe com o torcedor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.