Mário Bittencourt deixa diretoria do Fluminense

Gerente de futebol alega que precisa dedicar mais tempo para família e atividade profissional

AE, Agência Estado

27 de abril de 2010 | 15h41

Depois da troca de técnico, com a demissão de Cuca e a posterior contratação de Muricy Ramalho, o Fluminense sofreu mudanças na sua diretoria. Nesta terça-feira, o gerente de futebol Mário Bittencourt anunciou a sua saída do cargo com a alegação de que precisa dedicar mais tempo para a família e sua atividade profissional.

"Neste momento, apesar de ter acumulado a Gestão de Futebol e os julgamentos do clube nos Tribunais nos últimos sete meses sem qualquer problema, estou deixando o Departamento de Futebol em função de questões de ordem pessoal (novidades na minha vida familiar) e por entender que preciso dedicar mais tempo ao meu escritório", afirmou Bittencourt, em nota oficial.

Ele ressaltou, porém, que continuará trabalhando como advogado do Fluminense. "De qualquer forma, vou continuar com empenho e dedicação total ao trabalho que o meu escritório desenvolve na defesa dos interesses jurídicos do Fluminense", afirmou Bittencourt, que exercia a função de gerente de futebol desde setembro de 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.