Henry Romero/Reuters
Henry Romero/Reuters

Mário Fernandes diz que verá partida do Brasil e prevê 'grande jogo' com Croácia

Lateral naturalizado russo vive situação inusitada neste Mundial, já que tem acompanhará seleção brasileira e se dedica a defender equipe anfitriã

Estadão Conteúdo

06 Julho 2018 | 09h50

Quando o Brasil entrar em campo para encarar a Bélgica nesta sexta-feira, em Kazan, Mário Fernandes estará acompanhando atentamente. Em entrevista coletiva horas antes da partida, o lateral naturalizado russo afirmou que assistirá à partida de seu País natal pelas quartas de final da Copa do Mundo e previu um confronto bastante complicado.

+ Técnico da Suécia diz que seleção é 'fácil de analisar, mas difícil de vencer'

+ Seleção de 2018 aprendeu com os erros da Copa de 2014, avalia Parreira

+ 'Lukaku até manda foto comendo feijoada', diz amigo brasileiro do belga

"A gente acompanha todos os jogos da Copa, não só os do Brasil. A gente gosta de ver as partidas, estar por dentro de tudo que acontece. Hoje, o Brasil tem um grande jogo com a Bélgica e é claro que vou ver sim", declarou.

Mário vive situação inusitada neste Mundial. Afinal, ao mesmo tempo que vê o Brasil avançar no torneio, é um dos destaques da surpreendente campanha da Rússia, que também está nas quartas de final e duelará com a Croácia neste sábado, em Sochi. O jogador alertou para o potencial do adversário, mas exaltou as chances russas de ir à semifinais.

"A Croácia é um time muito forte, tem grandes jogadores. Então, precisamos respeitar e trabalhar bastante, porque vai ser um grande jogo", considerou. "A gente trabalhou bastante, batalhou, fizemos um grande período de treinamento. Então, nós merecemos estar onde estamos e vamos continuar batalhando."

 

Mário também celebrou o retorno do atacante Dzagoev, que se recuperou de uma lesão muscular na coxa e de um problema nas costas e está à disposição para este sábado. "Estamos muito felizes. Sabemos da qualidade do Dzagoev, infelizmente teve lesão no primeiro jogo, mas já está bem, à disposição. Todo mundo tem sua importância na equipe, e com ele não é diferente."

O lateral, porém, exaltou o atacante Dzyuba, que vem substituindo Dzagoev e inclusive marcou o gol de pênalti no empate por 1 a 1 com a Espanha, nas oitavas - os russos venceriam depois nas penalidades. "Ele é um grande jogador, como temos outros. Ele é forte, briga, como a gente também faz. Tem feito gols, nos ajudado muito e está de parabéns."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.