Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

Mario Gobbi exime Corinthians e vê morte de torcedor como 'fatalidade'

Presidente fala em acidente após morte de Kevin Beltram Espada, atingido por um sinalizador

Vítor Marques, Agência Estado

21 de fevereiro de 2013 | 16h05

SÃO PAULO - O presidente do

Perguntado se achava que o Corinthians deveria ser punido, uma vez que a torcida seria uma extensão do clube, Gobbi titubeou. "Primeiro tem que apurar. Não sabemos o que aconteceu. Um torcedor faleceu e não sabemos em que circunstâncias. Enquanto não se apura é prematuro falar em punição."

O momento de maior tensão da coletiva aconteceu quando Gobbi foi questionado sobre a relação do Corinthians com as torcidas organizadas. Perguntado se o clube dava ingressos a elas, ele primeiro tentou desviar o assunto. Depois, aumentou o tom de voz e foi áspero com o jornalista.

"O Corinthians tem uma relação com a torcida igual a todos os clubes, de respeito, diálogo e ambos querem ganhar, nada mais", disse ele, antes de ser novamente confrontado. "O Corinthians não participa de financiamento das viagens, quem quer vê jogo paga ingresso", garantiu, ríspido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.