Mário Sérgio: meninos aprenderam a lição

A derrota da seleção brasileira de futebol para o Paraguai, que eliminou o Brasil da Olimpíada de Atenas, não irá afetar, segundo o técnico Mário Sérgio, do Atlético Paranaense, o futuro do nosso futebol. Na sua opinião, o futebol em uma Olimpíada é apenas uma modalidade, não uma competição específica. "É diferente da Copa do Mundo, em que o futebol é o esporte principal. Nesse caso, a eliminação antes de uma Copa poderia mudar muita coisa, tanto na organização tática como na parte técnica", disse. Mário Sérgio alega que o torneio pré-olímpico foi supervalorizado pela mídia. "Infelizmente no Brasil a imprensa transforma medíocres em craques e também o contrário, conforme os resultados. Além disso, há um desrespeito muito grande pelos profissionais. Muitas vezes quem critica esquece que entre os milhares de telespectadores ou ouvintes estão os familiares dessas pessoas". Sobre a reação dos jogadores que participaram da campanha, Mário crê que eles aprenderam bastante com essa derrota, que mostrou que apenas talento não basta em uma competição internacional. "Era um momento importantíssimo para todos, mas ficou provado que o futebol é sério e profissional, e após isso eles devem encarar as coisas de outra maneira. Não creio que saíram prejudicados, mas com certeza todos cresceram um pouco mais. Precisamos aprender que aplicação em campo também é fundamental para uma vitória". O técnico Saulo Freitas, do Paraná Clube, lamentou a desclassificação, mas defendeu o trabalho feito por Ricardo Gomes. "Tivemos bons momentos, mas não conseguimos os gols. Acredito que os atletas se esforçaram e não devem encontrar problemas em seus clubes", disse. Para Saulo, apesar da pouca idade, a maioria dos atletas é titular em seus clubes e não devem ser prejudicados. "Com certeza terão o apoio de seus companheiros quando retornarem. Eles são talentosos e possivelmente defenderão nossa seleção em uma Copa do Mundo", afirmou. Entre os atletas que disputaram o torneio estava o atacante Dagoberto, do Atlético, que recebeu uma folga de 20 dias. "Ele ganhou esses dias para poder descansar. Depois terá que fazer uma pré-temporada como todo o grupo fez e disputar uma posição na equipe, pois seleção não garante o lugar de ninguém", afirmou Mário Sérgio.

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2004 | 18h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.