Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Mário Sérgio reintegra afastados

A diretoria do Atlético-MG agiu rápido e anunciou na manhã desta segunda-feira o nome de Mário Sérgio para substituir Jair Picerni, demitido na noite de domingo. O novo técnico foi apresentado à tarde no CT de Vespasiano. Ele chega com a missão de evitar o rebaixamento do time mineiro para a Série B do Brasileiro.A goleada por 5 a 0 sofrida para o Atlético-PR, no último sábado, custou o emprego de Picerni e deixou o time mineiro em 22º lugar na tabela de classificação, com 36 pontos, entre os quatro que cairão para a segunda divisão."Encarei esse desafio, pegar um time desacreditado e torná-lo competitivo. Para mim, vale mais que um título. Sempre achei que o Atlético poderia ir mais além e acredito que isso vai acontecer", disse Mário Sérgio, frisando que encontrou dificuldades em todos os clubes nos quais trabalhou.O treinador assinou contrato com o Atlético-MG até 31 de dezembro de 2004, com opção de renovação por mais um ano. Ele estréia no comando da equipe já nesta quinta-feira, no jogo contra o lanterna Guarani, no estádio Independência, em Belo Horizonte.Sua primeira decisão, antes mesmo de assumir o clube, foi solicitar que os meias Dejair e Tucho, que haviam sido afastados por Picerni, fossem reintegrados ao grupo.A diretoria espera que a chegada do novo técnico anime o elenco. "É um profissional que trabalha muito e tem pulso forte. Ele gosta de armar um time de muita pegada e isso pode motivar o grupo", afirmou o vice-presidente de futebol do Atlético, Sérgio Batista Coelho.Reza - Mário Sérgio é o terceiro técnico do Atlético neste Campeonato Brasileiro. Picerni foi contratado no final de julho para o lugar de Paulo Bonamigo e comandou a equipe em 20 jogos, sendo 18 pela competição nacional e dois pela Copa Sul-Americana. Foram ao todo quatro vitórias, oito empates e oito derrotas. No período em que esteve à frente do cargo, Picerni demonstrou muita irritação com o desempenho do time. Chegou a dizer que só "reza" ajudava o Atlético. "Tem que ascender 10 velas", admitiu na ocasião.Mais mudanças - O diretor de futebol remunerado, Luiz Henrique de Menezes, também deixa o clube. Ele colocou o cargo à disposição, o que foi aceito pela diretoria. Assim, o departamento de futebol do Atlético será comandado pelo presidente Ricardo Guimarães e pelo vice-presidente de futebol Sérgio Batista Coelho. "Tínhamos que tomar atitudes e foi o que fizemos", explicou Coelho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.