Marlon Santos festeja e diz que 2015 foi 'ano de consolidação' no Fluminense

Revelação das divisões de base do Fluminense, o zagueiro Marlon Santos fez um balanço positivo da temporada 2015 e avaliou que o ano foi de "consolidação" da sua carreira. O jogador conquistou a confiança dos diferentes técnicos que passaram pelo clube e fechou o ano como titular. Além disso, destacou ter aprendido muito com jogadores experientes e consagrados do elenco.

Estadão Conteúdo

17 de dezembro de 2015 | 10h45

"Foi um ano de consolidação na minha carreira. Pude aparecer, joguei bastante e tive bons desempenhos. Considero o ano como positivo para mim individualmente, de crescimento e amadurecimento. Aprendi muita coisa com jogadores consagrados. A cada jogo que passou aqui pude adquirir muitas coisas boas, como saber a hora de brincar, de falar e de ficar sério. Foi o ano de muito aprendizado para que em 2016 possa estar mais maduro, eficiente, e melhorar o que houve de errado", afirmou, ao site oficial do clube.

Além da titularidade do Fluminense, Marlon Santos também foi convocado para a seleção brasileira, tendo sido vice-campeão do Mundial Sub-20 e participado de amistosos pela equipe olímpica. O zagueiro reconheceu, porém, que precisa cometer menos erros.

"Fui convocado para seleção sub-20 para jogar o Mundial e fomos vice-campeões. Além disso, fui considerado um dos melhores zagueiros da competição. Acho que isso me ajudou muito a ser convocado para a Seleção sub-23. Estamos há um ano das Olimpíadas e pude fazer bons amistosos. Tive altos e baixos, cometi algumas falhas tanto no Fluminense como na seleção, mas todo jogador erra e sou um ser humano", disse.

Em 2016, Marlon Santos espera dar mais um passo na sua carreira. Ao lado de outras promessas, como Gustavo Scarpa e Marcos Junior, ele avalia que pode se tornar uma das referências do elenco e levar o Fluminense a conquistar títulos. Recentemente, o zagueiro renovou o seu contrato até dezembro de 2019.

"Espero um Marlon mais maduro, mais eficiente, mais simples e com a cabeça no lugar, como teve durante todo este ano. Que tenha mais confiança, responsabilidade e saiba lidar com o peso maior de, mesmo jovem, já ser uma referência. Que bom que não tem só eu. Outros meninos têm essa referência, como o Gustavo (Scarpa) e o Marcos (Junior). Espero que a gente possa saber lidar com esse tipo de peso e que no ano que vem conquiste muitos títulos para o Fluminense", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseMarlon Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.