Marquinhos confirma ameaças e diz que saída é irreversível

Em uma entrevista coletiva no final da tarde desta terça-feira, o zagueiro Marquinhos confirmou que recebeu ameaças de morte contra ele e seus familiares na noite do último domingo, após falhar na derrota do Corinthians no clássico contra o São Paulo, no Morumbi, e que não vai mudar a sua decisão de deixar o clube de Parque São Jorge. Pela manhã, o técnico Emerson Leão revelou o ocorrido e o gerente de futebol Edvar Simões declarou que o jogador teria um tempo para pensar e decidir o seu futuro.Marquinhos contou que algumas pessoas passaram na frente da casa de sua mãe na noite do domingo e gritaram para o zagueiro sair do Corinthians sob a ameaça de matá-lo ou ferir algum familiar. O mesmo aconteceu momentos depois na casa do próprio jogador, que tem esposa e uma filha de sete meses - Marquinhos não quis revelar o bairro onde ele e sua mãe moram. "Já não foi a primeira vez que isso aconteceu. Depois do jogo contra o Flamengo, no ano passado (derrota por 3 a 0, no Maracanã, pelo Brasileirão), foi a mesma coisa", disse.Com mais de 17 anos de Corinthians, sendo sete no profissional, Marquinhos lamentou que sua saída aconteça desta maneira, mas ressaltou que a prioridade no caso são seus familiares. "Não tenho mais tranqüilidade para ficar aqui. Eu me viro sozinho, mas como ficam minha mãe, minha esposa e minha filha? Elas não podem nem ir na padaria ou colocar o rosto na janela", afirmou.Com contrato até o final de 2008, Marquinhos sentará com a diretoria do Corinthians para acertar a rescisão. Seu desejo, neste momento, é ir para alguma clube que não seja do Estado de São Paulo. Um dos primeiros interessados é o Sport, que recentemente negociou o lateral-direito Marcos Tamandaré com o time paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.