Marquinhos Gabriel defende André e pede 'carinho' da torcida

O atacante é um dos principais alvos das arquibancadas corintianas

Estadão Conteúdo

17 de maio de 2016 | 14h20

Depois de boas fases na temporada, as eliminações no Campeonato Paulista e na Libertadores mudaram o clima no Corinthians, e o empate na estreia contra o Grêmio no Brasileirão só intensificaram as críticas da torcida. Se ainda não vive uma crise, o momento no clube é de preocupação, e alguns jogadores tem sido alvos constantes das arquibancadas.

O principal deles é o atacante André, que pouco fez desde que foi contratado junto ao Sport para este ano. Mesmo assim, o recém-chegado meia Marquinhos Gabriel saiu em sua defesa. "Nessa função que o André exerce, ele é fundamental para a gente, é um pivô que ajuda na marcação. As qualidades do André têm nos ajudado muito, e os gols vão sair naturalmente", disse nesta terça-feira.

A má fase de André e a falta de opções para jogar centralizado no ataque - Luciano também não vive bom momento - fizeram com que parte da torcida pedisse um time sem este jogador fixo. Marquinhos Gabriel já se adiantou e descartou fazer a função. "Eu não conseguiria fazer isso com êxito. Precisa de muita força e presença de área. Gosto de me movimentar pelos lados e pelo meio."

Além de defender especificamente André, o meia explicou que o time todo do Corinthians precisa do apoio da torcida para sair desta fase. Já são quatro partidas consecutivas sem vitórias - três no Itaquerão - e um bom resultado no domingo diante do Vitória, em Salvador, é essencial para mudar os ânimos no clube.

"No momento de dificuldade, a gente precisa do carinho, da participação do torcedor ao nosso lado. Vamos passar por momentos de turbulência, e o carinho do torcedor é importante para a gente exercer bem nossa função em campo", pediu. "O torcedor tem de cobrar quando acha que deve, e nós também temos nossa autocrítica. Com os torcedores ao lado, vai ajudar muito porque é uma torcida gigantesca. Eles confiando, nós também vamos acreditar sempre."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.