Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Marquinhos admite erros da seleção brasileira em amistoso, mas vê equipe pronta para a Copa do Mundo

Zagueiro do Paris Saint-Germain reconhece falhas do time em confronto com o Japão, mas avalia como um 'bom teste' para a equipe ao final

Redação, Estadão Conteúdo

06 de junho de 2022 | 10h40

Uma das lideranças da seleção brasileira, o zagueiro Marquinhos reconheceu os erros cometidos pela equipe no duro amistoso com o Japão, nesta segunda-feira, mas acredita que o "bom teste" em Tóquio mostra que o time comandado por Tite está pronto para a Copa do Mundo do Catar, no fim do ano.

"Realmente era esperado um confronto mais difícil hoje. Creio que também que nossa atuação no jogo passado foi melhor. Isso acabou facilitando (a goleada). Hoje no começo a gente acabou errando alguns asses, fazendo talvez alguns erros que deram confiança para o Japão", avaliou o defensor, ao comparar a vitória de 1 a 0 desta segunda com a goleada de 5 a 1 sobre a Coreia do Sul, na quinta passada.

Marquinhos exaltou o nível de dificuldade maior nesta segunda por considerar que o Japão, na sua avaliação, já está pronto para o Mundial e pode até cruzar com o Brasil numa eventual fase de quartas de final, no Catar.

"Foi um jogo muito bom para nós como teste, com dificuldades, diante de uma equipe que está pronta para o Mundial, que pode ser um dos nossos adversários. Então foi um bom teste para a gente e o resultado está aí. Temos que saber que não é um resultado brilhante, mas saber que é jogo de Copa do Mundo e, em Copa, às vezes temos que aceitar o 'um a zerinho' e passar para a próxima fase. Essa é a mentalidade", comentou.

Para o zagueiro, o time nacional também está pronto para a Copa e agora a meta é fazer ajustes específicos. "(A seleção está) Cada vez mais pronta. Creio que os resultados estão aí, na classificação das Eliminatórias e nos amistosos. Creio que cada vez mais sabemos que temos que tentar tirar algo a mais para ir evoluindo, para o professor fazer os testes. Quando entrarmos em campo, temos que fazer o nosso melhor, seguir confiantes, para ganhar uma boa sequência. Sabemos que a confiança a gente não pega e larga quando quer. Vamos aproveitar que o momento está bom, vamos segurar essa confiança para chegar bem na Copa do Mundo."

O zagueiro ainda aprovou a bola do amistoso desta segunda por ser a mesma a ser usada na Copa. Foi a primeira vez que a seleção jogou com ela. "Achei bem leve, vimos os chutes no jogo, com muita velocidade, o campo também estava bem rápido. Tiveram vários chutes de fora da área. A bola é bem rápida. Melhor para a gente ir se acostumando, começar desde já. Mas é uma bola de muita qualidade. Acho que não teremos problemas com ela."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.