Almir Dalsh/Reuters
Almir Dalsh/Reuters

Marrocos é banido das próximas duas Copas das Nações Africanas

Confederação Africana de Futebol pune o País por desistir de realizar a competição em 2015 com medo da propagação do Ebola

Estadão Conteúdo

06 de fevereiro de 2015 | 15h56

A Confederação Africana de Futebol (CAF) definiu nesta sexta-feira uma duríssima punição ao Marrocos por ter se negado a sediar a Copa Africana de Nações deste ano. Após uma reunião na Guiné Equatorial, a entidade multou o país em US$ 1 milhão, exigiu ainda uma indenização milionária e baniu a seleção marroquina das próximas duas edições do torneio continental, em 2017 e 2019.

Marrocos desistiu de sediar a Copa Africana desse ano em outubro do ano passado, por medo que o vírus Ebola, que estava assolando parte do continente, entrasse no país através de turistas que acompanhariam a competição. Dirigentes marroquinos chegaram a sugerir a mudança de data da competição ou que o local fosse sede da edição seguinte, em 2017, mas a CAF negou.

Às pressas, a entidade africana correu atrás de algum país disposto a receber o torneio e encontrou a Guiné Equatorial, que já havia sediado o torneio em 2012, junto com o Gabão. Mesmo que a competição tenha transcorrido sem problemas - a decisão será neste domingo -, a CAF garante que o prejuízo com a troca de sedes chegou a US$ 9 milhões.

Por conta desse grande rombo, a entidade africana decidiu cobrar ainda da Real Federação Marroquina de Futebol 8,05 milhões de euros de indenização, "por todo dano material sustentado pela CAF, pelas partes interessadas e pelos parceiros, como resultado da decisão de não sediar a Copa Africana de Nações de 2015".

A federação marroquina ainda não se manifestou sobre a decisão da CAF e não informou se pretende recorrer. Se a punição for confirmada, a entidade não só terá que arcar com um imenso prejuízo como a seleção também não poderá disputar o principal torneio africano de seleções em 2017, ainda sem local definido, e 2019, em Camarões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.