Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Marta é finalista ao prêmio de melhor jogadora de 2012

Apesar de temporada frustrante com a seleção, atacante concorre entre as três melhores do ano

ALMIR LEITE E PAULO FAVERO, Agência Estado

29 de novembro de 2012 | 11h57

SÃO PAULO - Eleita cinco vezes seguidas a melhor jogadora do mundo pela Fifa, entre 2006 e 2010, Marta foi anunciada, nesta quinta-feira, em São Paulo, como uma das três finalistas da Bola de Ouro de 2012. A grande estrela do futebol nacional irá concorrer com as norte-americanas Abby Wambach e Alex Morgan.

A estrela da seleção brasileira era a única atleta do País a figurar entre as dez finalistas anunciadas anteriormente pela Fifa, e acabou indo para a fase final da votação da premiação deste ano, mesmo amargando uma temporada infeliz com a seleção brasileira. Entre outras decepções, ela sofreu com uma doída eliminação já nas quartas de final da Olimpíada de Londres, na qual o Brasil caiu diante do Japão.

Homare Sawa, do Japão, que foi eleita a melhor jogadora do mundo em 2011, interrompendo então um reinado de cinco anos de Marta na premiação da Fifa, desta vez acabou ficando fora do grupo de três finalistas, depois de ter aparecido em uma lista anterior das dez principais indicadas ao prêmio deste ano.

Presente ao evento realizado nesta manhã de quinta, Ronaldo festejou o fato de a craque brasileira ter sido eleita finalista mais uma vez. "Primeiramente queria dar parabéns à Marta, você merece, já com cinco títulos de melhor do mundo e mais uma vez entre as três melhores", ressaltou Ronaldo, que já ganhou o prêmio de melhor jogador do planeta três vezes, em 1996, 1997 e 2002.

A Fifa também anunciou nesta quinta-feira os três finalistas ao prêmio de melhor técnico do ano no futebol feminino. São eles: Bruno Bini, da França, Norio Sasaki, do Japão, e Pia Sundhage, da Suécia.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBola de OuroFifaMarta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.