Marta espera que clubes se inspirem no título do Santos

Depois de conquistar a Copa Libertadores de Futebol Feminino ao ajudar o Santos a golear o Universidad Autônoma por 9 a 0, neste domingo, na Vila Belmiro, a meia-atacante Marta se emocionou com o feito e espera que ele possa servir de exemplo para outros clubes do futebol brasileiro investirem na modalidade também em suas equipes femininas.

AE, Agencia Estado

18 de outubro de 2009 | 15h59

O Santos apostou na contratação de Marta, eleita três vezes a melhor jogadora do mundo pela Fifa, além de outras estrelas do futebol feminino, como a atacante Cristiane. "Que este movimento não pare por aqui e que a temporada beneficie as meninas que jogam no Brasil. Sabemos jogar bola. Futebol é para mulher também. Gostaria de ver os clubes grandes se inspirando na iniciativa do Santos e que montassem suas equipes femininas", afirmou Marta, que ainda disse: "Este título dedico à minha mãe, à nação santista e ao povo brasileiro. Parece um sonho e estou muito emocionada".

A atacante Cristiane, que não participou da decisão deste domingo por cumprir suspensão, também aposta no crescimento do futebol feminino do Brasil com a conquista do Santos. "Pena que hoje (domingo) fiquei na agonia só torcendo do lado de fora, mas deu tudo certo. Agradeço muito ao público que nos apoiou nestes jogos e tenho certeza de que o futebol feminino vai crescer ainda mais", ressaltou.

O técnico da equipe do Santos, Kleiton Lima, também destacou o momento que considerou marcante para a história do futebol feminino do Brasil. "Acabamos de participar de algo bem grande. Este é o princípio da colheita. A gente tem semeado há muito tempo e hoje estamos começando a colher os resultados do trabalho. O torneio (Libertadores) com certeza foi um divisor de águas. Hoje (domingo) foi um momento especial com quase 15 mil pessoas na Vila e na sexta-feira quase 10 mil no Pacaembu (na semifinal). É um momento marcante na minha carreira de 15 anos com o futebol feminino. Sempre sonhei com um momento como esse", disse Lima.

Os discursos da meia Érika e da zagueira Aline também seguiram a mesma linha após a conquista. "Precisávamos deste título inédito para alavancar o futebol feminino, que deve ser visto de forma profissional", disse Érika. "O Santos está sendo pioneiro através da estrutura que montou. Está todo mundo feliz e satisfeito e espero que (esse momento) dure por muito tempo", acrescentou Aline.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresSantosMarta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.