Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Martín Silva diz que Vasco tem 'obrigação' de vencer Bahia e pede apoio

Goleiro faz alerta contra o risco de rebaixamento no Brasileiro e quer apoio do público para jogo na segunda-feira

Estadão Conteúdo

20 de setembro de 2018 | 17h22

Com apenas uma vitória nas últimas 11 partidas do Campeonato Brasileiro, o Vasco entra em campo pressionado para encarar o Bahia na próxima segunda-feira, em São Januário. Na zona de rebaixamento, o time carioca tem a "obrigação" de vencer o rival, um adversário direto na zona contra a degola. Pelo menos foi o que considerou o goleiro Martín Silva.

"Temos a obrigação de voltar a somar os três pontos. É lógico que houve uma melhora no desempenho coletivo, mas agora precisamos conquistar resultados e somar pontos. É disso que precisamos para subir na tabela. Quando há uma melhora no rendimento, você trabalha de forma mais tranquila, porém agora necessitamos mais de resultados do que de desempenho", declarou nesta quinta-feira.

Ao longo dos últimos dias, os jogadores entoaram o coro do técnico Alberto Valentim e também exaltaram a evolução do Vasco desde que ele assumiu o time. Mas isso não tem sido suficiente para reencontrar o caminho das vitórias. Nas últimas cinco rodadas, foram quatro derrotas e apenas um empate, contra o Flamengo, no sábado passado.

Para encerrar a péssima fase e escapar do rebaixamento, Martín Silva considerou que o Vasco precisa do apoio de sua torcida. O goleiro uruguaio afirmou que uma possível pressão vinda das arquibancadas na segunda que vem poderia ser fatal para o desempenho dos jogadores em campo.

"Jogar em São Januário tem que ser algo que pese ao nosso favor. Isso começa pelo apoio da torcida, que é o que difere de jogar fora ou em casa. Que os torcedores nos apoiem do primeiro ao último minuto. Sabemos que eles estão ansiosos pela saída da zona de rebaixamento, igual ao nosso time, mas precisamos estar juntos. Precisamos manter a cabeça fria para o resultado ser positivo após os 90 minutos", apontou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.