Alberto Estévez/EFE
Alberto Estévez/EFE

Martino deixa o comando do Barcelona após perder título para o Atlético

Passagem do técnico argentino pelo clube durou dez meses, com 64 jogos disputados

O Estado de S. Paulo

17 de maio de 2014 | 16h38

SÃO PAULO - Após mais um fracasso na temporada 2013/2014, o técnico Tata Martino deixou o comando técnico do Barcelona, time de Neymar e Messi. A informação foi confirmada pelo clube catalão momentos depois do empate com o Atlético de Madrid neste sábado. Com o resultado, o Barcelona ficou com o vice do Campeonato Espanhol e amargou temporada sem nenhuma conquista.

"De comum acordo com o clube, deixo de ser o técnico do Barcelona", anunciou Martino, ao lado do diretor esportivo do time catalão, Andoni Zubizarreta. "Lamento profundamente não ter conseguido os objetivos que este clube havia traçado no início da temporada", completou o treinador, que também destacou que foi "um enorme orgulho dirigir uma instituição como o Barça" dentro do campo.

Martino assumiu o Barcelona dia 23 de julho do ano passado. Na época, o treinador argentino acabou herdando o lugar que ficou vago por causa dos sérios problemas de saúde de Tito Vilanova, que morreu neste ano.  Desde que chegou ao Barcelona, o técnico dirigiu o time 64 vezes, com 45 vitórias, dez empates e nove derrotas. O aproveitamento foi de 75,5%. O  ex-técnico do Newell's Old Boys tinha contrato com o time espanhol por mais uma temporada. 

Em agosto, já com Martino no comando, o Barcelona conquistou o título da Supercopa da Espanha, com empate por 1 a 1 contra o Atlético de Madrid - o torneio, porém, era válido pela temporada 2012/2013. No Campeonato Espanhol, o Barça de Messi e Neymar somou 87 pontos, com 27 vitórias, seis empates e cinco derrotas. Empatado em número de pontos com o rival Real Madrid, o Barcelona levou a melhor no confronto direto e ficou na segunda colocação.

A equipe acabou eliminada nas quartas de final da Liga dos Campeões após perder por 1 a 0 para o Atlético de Madrid - antes, por seis anos consecutivos, o clube chegava à semifinal da competição (de 2008 a 2013). Na Copa do Rei, mais uma derrota. Na final da competição, o Real Madrid acabou batendo o time por 2 a 1.

FIM DAS GLÓRIAS

Nos anos seguintes, o Barcelona conquistou o Campeonato Espanhol quatro vezes (2009, 2010, 2011 e 2013), a Liga dos Campeões, o Mundial de Clubes e a Supercopa da Uefa de 2009 e 2011, além da Supercopa da Espanha (2009, 2010 e 2011) e a Copa do Rei em 2009 e 2012. O time foi treinado por Pep Guardiola entre junho de 2008 e abril de 2012. Depois, Tito Vilanova esteve à frente da equipe até julho do ano passado.

Em abril, após três derrotas consecutivas, contra Atlético (1 a 0), Granada (1 a 0) e Real (2 a 1), dois nomes foram cotados para assumir o Barcelona: os alemães Jürgen Klopp, comandante do Borussia, e Joachim Löw, técnico da seleção da Alemanha. A diretoria ainda não se manifestou sobre o nome do novo comandante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.