Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Martino não revela se Neymar joga nesta quarta contra Atlético de Madrid

Técnico do Barcelona faz mistério antes de partida pela Supercopa da Espanha

O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2013 | 07h30

MADRI - No incomum horário das 23h (18h pelo horário de Brasília), Atlético de Madrid e Barcelona começam a decidir nesta quarta o título da Supercopa da Espanha – competição que reúne o campeão da Copa do Rei (Atlético) e o vencedor do campeonato espanhol (Barça). A partida de volta será dia 28 no Camp Nou.

O técnico Tata Martino não confirmou a escalação da equipe. Também não deu pistas se Neymar será titular ou ficará no banco como na partida de domingo contra o Levante pelo Campeonato Espanhol – o Barça venceu por 7 a 0 e o ex-santista entrou aos 18 minutos do segundo tempo, quando o placar mostrava 6 a 0. “Sei quem vai jogar, mas só darei o time pouco antes da partida.”

O mais provável é que Neymar comece no banco de novo. Na avaliação da comissão técnica, sua condição física ainda não é a ideal. Além disso, Alexis Sánchez e Pedro jogaram bem contra o Levante. Além de terem feito gol, os dois mostraram fôlego para cumprir a ordem de Martino de pressionar muito a saída de bola do adversário, algo que o time fazia muito bem quando era dirigido por Pep Guardiola, mas que havia perdido no fim da temporada passada, sob o comando de Tito Vilanova. “Ter recuperado essa capacidade de pressionar lá em cima é fundamental para o nosso jogo”, disse o meia Xavi.

O goleiro Valdés também saudou a recuperação de um dos pontos fortes da equipe. “Um dos segredos do nosso sucesso nos últimos anos era o fato de recuperarmos a bola perto da área adversária. Nesse sentido, o que fizemos domingo contra o Levante foi um aviso para os outros times.”

JOGO VERTICAL

O técnico do Atlético sabe bem o que terá pela frente hoje, e diz que seus jogadores precisarão de inteligência para escapar da armadilha que o Barça armará. “Eles gostam de colocar muitos jogadores no campo de ataque para afogar a saída de bola do adversário. Teremos de encontrar soluções para conseguir respirar e depois incomodar a defesa deles”, disse Diego Simeone.

Pelo estilo de jogo do Atlético e pelas declarações do treinador, não é difícil imaginar que a solução será utilizar bolas longas para chegar logo ao campo do Barça e explorar a falta de proteção aos zagueiros Piqué e Mascherano. “Domingo, nós ganhamos do Sevilla (3 a 1) fora de casa num jogo em que tivemos apenas 37% de posse de bola. Por outro lado, chutamos mais a gol, tivemos mais escanteios a favor e marcamos mais gols. Temos mais verticalidade do que controle de bola, o nosso estilo é esse.”

Há um ano e meio no clube, Simeone venceu as três finais que disputou: contra o Athletic de Bilbao pela Liga Europa, contra o Chelsea pela Supercopa da Europa e contra o Real Madrid pela Copa do Rei. Nas duas últimas o zagueiro Miranda, ex-São Paulo, fez gol. A equipe será a mesma que derrotou o Sevilla, e terá o atacante David Villa como atração. O atacante jogará pela primeira vez contra o Barcelona, clube que defendeu nas três temporadas passadas e pelo qual conquistou sete títulos. “O único jeito de derrotar o Barça é fazer tudo muito bem.”

O Atlético de Madrid jogará com Courtois; Juanfran, Godín, Miranda e Filipe Luís; Mario, Gabi, Arda Turan e Koke; Diego Costa e David Villa. O Barcelona deverá ir a campo com a seguinte formação: Valdés; Daniel Alves, Mascherano, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Alexis Sánchez (Neymar), Messi e Pedro.

Tudo o que sabemos sobre:
FUTINTERNeymarbarcelonafutinterMESSI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.