Martinuccio alfineta médicos da Ponte Preta e vai se tratar no Corinthians

Após ser dispensado pela Ponte Preta, o meia Alejandro Martinuccio respondeu à declaração de Roberto Nishimura, chefe do departamento médico dos campineiros. O jogador chegou ao final da última temporada como "presente para a torcida", mas nem sequer assinou contrato e, agora, se recupera no CT Joaquim Grava, do Corinthians.

Estadão Conteúdo

21 Janeiro 2016 | 19h49

Com 28 anos, ele afirma que ouviu de Nishimura que precisaria de mais três meses e meio a quatro meses para voltar aos gramados e, com isso, não recebeu o aval para assinar contrato. "Ele (Nishimura) disse que eu ficaria fora do Paulistão. Eu não concordei com isso. Venho treinando há três meses e era só manter o trabalho", argumentou. "Conversei com meu empresário e decidimos buscar outra opinião", destacou.

O jogador sofria com uma inflamação no joelho direito devido à retirada das hastes nas duas tíbias em julho do ano passado. Por conta das lesões, ele não atua em uma partida oficial desde o fim de 2014.

Sem o aval do médico ponte-pretano, jogador deixou o CT do Jardim Eulina, em Campinas, para procurar uma nova casa no CT Joaquim Grava, em São Paulo, que pertence ao Corinthians. De acordo com Martinuccio, o médico responsável, que carrega o mesmo nome do Centro de Treinamento, lhe garantiu um retorno aos gramados em dois meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.