Mascote da Copa da Alemanha reduz fertilidade, diz ONG

Após de levar a empresa Nici AG, que detém seus direitos de fabricação, à falência, o mascote da Copa do Mundo, o leão Goleo, agora é acusado de reduzir a fertilidade e atacar o sistema imunológico devido um produto químico utilizado para a sua fabricação. A informação foi divulgada nesta terça-feira pela ONG alemã Oekotest, que se dedica a examinar produtos que estão no mercado para proteger os consumidores. O teste em Goleo constatou a presença de dibaticilina, um produto químico não-inflamável. "Esse produto é venenoso", disse Carolin Zerger, da organização ecológica Bund, ao jornal alemão Die Tageszeitung, de Berlim. Além do boneco, um conjunto de roupas de cama - fronha e lençol - com a imagem do mascote do Mundial da Alemanha também apresentou um produto prejudicial à saúde (um cancerígeno). Outros 17 produtos alusivos à Copa foram testados, e apenas um - uma esteira de praia- foi aprovado. Falência Há cerca de duas semanas, a empresa Nici AG, detentora dos direitos de produção do Goleo, anunciou a falência devido às fracas vendas do mascote de pelúcia. A companhia pagou 28 milhões de euros (cerca de R$ 74,48 milhões) pelos direitos exclusivos na Europa. Devido ao escândalo, um dos dirigentes da empresa foi preso sob a acusação de fraude contábil.

Agencia Estado,

30 Maio 2006 | 15h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.