Premiere
Premiere

Massagista do São Paulo tem mal súbito durante jogo com o Fortaleza no Morumbi

Marcelinho Silva foi rapidamente atendido pelos médicos do dois clube e levado com vida para um hospital da região, já consciente

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2021 | 18h59

Marcelinho Silva, massagista do São Paulo, sofreu uma crise convulsiva durante o jogo da equipe tricolor com o Fortaleza no Estádio do Morumbi, em cena que lembrou o caso do dinamarquês Eriksen, na Eurocopa. O profissional foi socorrido imediatamente pelos médicos do São Paulo. Ele caiu no chão e começou a bater os braços. Estava em frente ao banco de reservas. Uma das ambulâncias do estádio teve problemas para ligar, precisou ser empurrada até o motor pegar e chegar ao local para concluir o atendimento. Marcelinho foi levado com vida de ambulância para um hospital da região, já falando com o médico José Sanchez, do São Paulo. O jogo ficou parado por oito minutos. O profissional foi levado para o Hospital São Luiz, unidade do Morumbi e, segundo o clube, já se encontra bem e passará por exames.

No momento em que Marcelinho sofreu a convulsão, o São Paulo já perdia a partida por 1 a 0. O atendimento médico demorou alguns minutos, e a partida ficou paralisada por esse tempo. Logo que a ambulância chegou ao local, alguns equipamentos foram retirados de seu interior e o procedimento pôde ser concluído. Também houve dificuldade em abir algumas mochilas, onde havia medicamentos e outros itens de pronto-socorro.

Após a chegada da primeira ambulância, que teve problemas para dar a partida, outro veículo se aproximou para o atendimento. A primeira precisou ser empurrada por jogadores e pessoas que estavam no gramado. Perdeu tempo nesse procedimento. O massagista do São Paulo foi colocado na maca e levado para dentro do veículo, junto com o médico da equipe paulista, que seguiu para o hospital. Ele já falava com os médicos, mas parecia não saber o que havia acontecido. Os jogadores ficaram nas proximidades, observando o atendimento. Houve comoção. Arboleda, do São Paulo, chegou a se ajoelhas no gramado ao lado da bola. O médico do Fortalexza também ajudou no socorro. 

Sem a presença de José Sanchez, a partida foi reiniciada, e o médico do Fortaleza ficou responsável pelo atendimento das duas equipes. Apesar da tensão que tomou conta do Morumbi, o árbitro deu prosseguimento ao confronto e acrescentou o tempo em que a partida ficou parada no estádio são-paulino. Após o apito final, decretando a derrota do São Paulo para o Fortaleza, por 1 a 0, o goleiro Tiago Volpi comentou o ocorrido e preferiu não associar o fato ao desempenho da equipe.

"A cena é difícil de se ver, um companheiro que está todo dia com a gente. Que a gente possa, todos com pensamento positivo, orar para não ser nada grave e ele estar em breve com a gente. Primeiramente seria até covardia da nossa parte falar que o que aconteceu nos tirou do jogo. Uma coisa não justifica a outra. Torcer para ele ficar bem, não é justificativa, seria muito injusto falar que isto intereferiu no jogo. É acima do futebol, jamais usaria esta justificativa", afirmou o goleiro.

O São Paulo divulgou nota oficial em que afirmou que o massagista está bem após a internação e passará por exames.  "O massagista Marcelo Silva sofreu uma crise convulsiva durante o jogo deste sábado. Ele deixou o estádio de ambulância, consciente, e foi encaminhado para o hospital São Luiz. Marcelo está bem, estável, e será submetido a exames neurológicos para elucidação do caso ocorrido", diz o comunicado do clube.

Assista ao momento em que Marcelinho, massagista do São Paulo, é atendido no Morumbi após sofrer mal súbito: https://t.co/ud4z6XJqU5 pic.twitter.com/dGDf9H4H0f

Outros clubes brasileiros se manfiestaram após o ocorrido no Morumbi e desejaram força ao profissional são-paulino em sua recuperação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.