Massagista impede gol decisivo e pode parar Série D

O primeiro jogo decisivo das oitavas de final da Serie D do Brasileirão já indica que a competição tem tudo para ser decidida no tapetão. Neste sábado, a Aparecidense, de Goiás, garantiu a primeira vaga às quartas de final ao empatar em 2 a 2 com o Tupi, em Juiz de Fora (MG), num jogo que entrará para a história como um exemplo do que não é fair play.

AE, Agência Estado

07 de setembro de 2013 | 21h57

Aos 44 minutos do segundo tempo, o atacante Ademilson, do Tupi, completou um cruzamento e desviou para o gol, mas, antes da bola entrar, o massagista do time goiano, Esquerdinha, que tinha acabado de fazer um atendimento, invadiu o campo e tirou em cima da linha o que seria o gol da vitória do Tupi.

Como no jogo de ida, em Goiás, os dois times haviam empatado em 1 a 1, uma vitória classificaria o Tupi. O juiz deu bola ao chão, como prevê a regra. E nem os cinco minutos de acréscimos ajudaram o time mineiro a marcar o terceiro gol.

Agora, os mineiros vão aguardar o que o árbitro relatará na súmula e entrará com uma ação no STJD pedindo para anular a partida ou tentar validar o gol e a vitória. Classificada, a Aparecidense aguarda o vencedor de Resende-RJ e Mixto-MT para definir o duelo que vale uma vaga na Série C em 2014.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie D

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.