Divulgação
Divulgação

Mata diz que Copa pesou em ida para Manchester United

Reserva no Chelsea, meia espanhol busca espaço na seleção de Vicente del Bosque

Agência Estado

27 de janeiro de 2014 | 16h13

MANCHESTER - Apresentado oficialmente pelo Manchester United nesta segunda-feira, Juan Mata revelou que o seu desejo de disputar a Copa do Mundo pela seleção da Espanha o levou a optar pela troca de clube, pois vinha sendo reserva no Chelsea, o que poderia deixá-lo fora da lista de convocados para o Mundial do Brasil.

"Foi muito importante", disse Mata, contratado pelo Manchester United por 37,1 milhões de libras (aproximadamente R$ 148,8 milhões). "É realmente muito difícil de entrar na seleção da Espanha, há muitos jogadores que lutam para estar entre os 23 que vão para o Brasil", acrescentou. "Espero que esta seja uma grande oportunidade para continuar a jogar, manter a forma e mostrar ao técnico da seleção que eu quero estar lá, eu tenho que estar lá. Eu não sei o que poderia acontecer se eu tivesse ficado no Chelsea".

Pouco aproveitado no Chelsea, Mata disputou a sua última partida pela equipe no dia 1º de janeiro, uma situação bem diferente da que ele deve viver a partir de agora no Manchester United. "Agora estou aqui, agora o momento é aqui", disse o espanhol. "Agora vou tentar jogar o máximo que puder para ajudar a equipe e se as coisas forem boas na parte final da temporada, a Copa do Mundo vai estar mais perto para mim, com certeza".

Em sua apresentação oficial, Mata celebrou a oportunidade de atuar ao lado do atacante Wayne Rooney. "Eu mal posso esperar para jogar ao lado dele", disse. "Para mim, ele é um dos melhores jogadores da história deste país, ele é inacreditável".

Jogador mais caro da história do Manchester United, Mata chega com a responsabilidade de recuperar o time, apenas em sétimo lugar no Campeonato Inglês, 14 pontos atrás do líder Arsenal e a seis do Liverpool, o quarto colocado, que ficaria com a última vaga do país na próxima Liga dos Campeões da Europa. E o meia espanhol garante que não se assusta com a pressão que deve sofrer no novo clube.

"Eu gosto da pressão. Eu acho que é bom para um jogador tentar melhorar quando você tem pressão e as pessoas estão esperando grandes coisas de você", disse Mata. "E eu estou realmente ansioso por isso , tentar o meu melhor e ajudar a equipe e fazer esses fãs incríveis felizes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.