Materazzi admite provocação e ataca "arrogância" de Zidane

O zagueiro italiano Marco Materazzi admitiu que provocou o meia francês Zinedine Zidane antes de ser atingido por uma cabeçada durante a final da Copa do Mundo, no último domingo, e disse que o camisa 10 adversário se comportou de forma arrogante em toda a partida, que terminou com a conquista do tetracampeonato mundial pela Itália, após vitória por 5 a 3 sobre a França nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação.Ao jornal Gazzetta dello Sport desta terça-feira, Materazzi contou que o lance começou quando ele puxou a camisa de Zidane por alguns segundos. "Ele se virou e me olhou de cima a baixo, com extrema arrogância, e me disse: ´Se você quer minha camisa, eu lhe dou depois do jogo´. Respondi com um insulto, é verdade", disse o zagueiro, que já havia sido personagem do jogo ao cometer o pênalti que resultou no gol da França, marcado pelo próprio Zidane, e feito o tento de empate da Itália, de cabeça. Depois, ainda marcaria um gol na disputa de pênaltis.Questionado sobre o que teria dito, Materazzi respondeu: "Foi algo que se escuta dezenas de vezes nos campos de futebol". O jornal também publicou o desmentido do jogador que já havia circulado na segunda-feira, sobre ter chamado Zidane de "terrorista islâmico sujo". "Eu não sou uma pessoa de cultura, e nem sei o que é um terrorista islâmico", afirmou.Materazzi, que é apontado como um dos defensores mais violentos do país - um de seus apelidos é "Macelazzi", trocadilho com "macelaio", que significa "açougueiro" em italiano -, negou também que tenha xingado a mãe de Zidane. "Eu o xinguei, mas, para mim, a mãe é sagrada", disse, como bom italiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.