Materazzi diz não saber o significado de terrorista

Momentos depois de desembarcar na base militar de Pratica Di Mare, próxima a Roma, o zagueiro italiano Marco Materazzi negou nesta segunda-feira ter chamado o meia Zinedine Zidane de "terrorista sujo" antes de receber uma cabeçada no peito do capitão da seleção francesa na final da Copa do Mundo, no domingo. "Isso absolutamente não é verdade. Eu não o chamei de terrorista. Eu sou ignorante. Nem sei o que a palavra significa", afirmou o jogador. "O mundo todo viu o que aconteceu ao vivo pela televisão", completou defensor, que defende a Inter de Milão. A agressão ocasionou a expulsão de Zidane na segunda etapa da prorrogação. Além de ter feito o pênalti sobre o francês Malouda, que ocasionou o gol dos rivais, o zagueiro foi o autor do gol de empate dos italianos - a partida acabou em 1 a 1 no tempo normal e extra. Nos pênaltis, a Itália venceu por 5 a 3 e conquistou o tetracampeonato mundial. Já o pai do jogador da "Azzurra", Guiseppe Materazzi revelou que o seu filho foi provocado pelo meia francês durante a partida. "Digo somente que falei alguns segundos com Marco por telefone (depois do jogo). Ele me disse que havia sofrido uma provocação", disse. Numa leitura labial feita no programa Fantástico, da TV Globo, anunciou que o italiano ofendeu a irmã de Zidane de prostituta. Outros meios de comunicação pelo mundo divulgaram que o defensor fez ofensas racistas por causa da ascendência do francês - ele é filho de argelinos.

Agencia Estado,

10 Julho 2006 | 15h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.