Matonense acusada de roubar energia

A crise financeira nos clubes de futebol também provoca alguns atos de desespero por parte dos dirigentes. Sem dinheiro para cumprir seus compromissos, a Matonense, além de ser rebaixada para a Série A2 do Campeonato Paulista, segunda divisão, agora está envolvida em um possível roubo de energia elétrica do Ginásio Municipal de Esportes Armando Theodorico Gomes. A Prefeitura Municipal, que paga o consumo do ginásio, promete acionar o clube, além de interromper o fornecimento ilegal. O valor do débito não foi divulgado, mas não ultrapassaria R$ 1 mil. O valor a ser pago foi tirado de uma média de gastos por dia do clube, multiplicado por 20 - número de dias que a Matonense teria furtado. Sem luz elétrica em sua sede, pessoas ligadas ao clube acabaram fazendo um "gato" para conseguir energia. Com o fato descoberto, a prefeitura cobra os prejuízos e o clube ficou às escuras. O presidente Antonio Aparecido Galli espera resolver o impasse nos próximos dias. Ele reconhece as dificuldades do clube e acredita que a questão também tem caráter político.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.