Matonense deve jogar, mesmo punida

A direção da empresa Futura Esporte ainda não conseguiu o efeito suspensivo para a punição aplicada pela Federação Paulista de Futebol (FPF) pela confusão na partida da Matonense contra o Nacional, em Matão, pela segunda rodada do Campeonato Paulista da Série A-2. Mesmo assim, a empresa está pronta para colocar seu time em campo, domingo, em casa, diante do líder São Bento."Não paramos de treinar", garantiu o técnico Israel de Jesus. Do lado do São Bento, a diretoria promete colocar o time em campo, mesmo se for para vencer por W.O.. O time de Sorocaba lidera o Grupo 2, com nove pontos.De acordo com a assessoria de imprensa da FPF, o julgamento do recurso acontecerá no dia 22 de fevereiro e o jogo contra o São Bento continua marcado para domingo à tarde. Agora, cabe à Futura e a direção da Matonense decidirem quais jogadores serão escalados. O problema é que o técnico Israel de Jesus está suspenso por três anos, e junto com ele 26 atletas que têm vínculo com a empresa, suspensos entre 120 e 360 dias. Um novo problema confirmado nesta sexta-feira é que o TJD vai analisar a legalidade da inscrição de 11 jogadores, ligados até então ao clube presidido por Oberdã Silva. Os jogadores podem ser suspensos e o time corre o risco de perder pontos ainda por ca usa da tumultuada partida diante do Nacional e também na estréia diante do Guaratinguetá. Até agora, em três jogos, a Matonense continua sem somar ponto, após ter perdido os jogos para Guaratinguetá, Nacional e Noroeste.Nesta sexta-feira, a empresa desistiu momentaneamente de entrar com pedido de efeito suspensivo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) porque Luís Zveiter, presidente do Tribunal, não estava no Rio de Janeiro, sede da entidade. Uma nova tentativa será feita na próxima segunda-feira.

Agencia Estado,

11 de fevereiro de 2005 | 19h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.