Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Mattos deixa Cruzeiro após quatro dias e aguarda visto para trabalhar na Inglaterra

Dirigente sai por solidariedade a outro dirigente e se prepara para assumir cargo no Reading

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

09 de janeiro de 2020 | 11h12

A nova passagem do diretor de futebol Alexandre Mattos pelo Cruzeiro durou somente quatro dias. O dirigente ex-Palmeiras avisou ao clube na manhã desta quinta-feira que não continuaria na função após o responsável pela sua vinda, o então vice-presidente de futebol Pedro Lourenço, também resolver deixar a cúpula. Mattos trabalharia no Cruzeiro por até 60 dias, enquanto aguarda a regularização do visto de trabalho para mudar para a Inglaterra, onde vai assumir um cargo no Reading.

Mattos aceitou o convite do Cruzeiro para trabalhar temporariamente, com o intuito de ajudar o clube na reestruturação. O dirigente deixou claro que por ter um convite para ir à Inglaterra, não ficaria mais tempo nem cobraria salários. A passagem terminaria assim que recebesse o visto de trabalho. Mattos teve uma época vitoriosa do Cruzeiro entre 2012 e 2014, período em que ganhou dois Campeonatos Brasileiros. Ele deixou a equipe após aceitar proposta do Palmeiras.

Nos quatro dias em que atuou na equipe mineira o dirigente fechou a venda do zagueiro Fabrício Bruno ao Red Bull Bragantino e encaminhou outras negociações pela saída de jogadores, para diminuir os problemas financeiros da equipe. No entanto, o trabalho foi interrompido nesta manhã. Assim que Lourenço comunicou a saída do cargo, Mattos tomou a mesma decisão em solidariedade. Ocimar Bolicenho é quem vai atuar como substituto.

Agora, o dirigente ficará apenas no aguardo na documentação para trabalhar na Inglaterra. A liberação deve durar de 45 a 60 dias. Mattos terá um cargo no Reading, time da segunda divisão inglesa. O papel dele será de observar e cuidar do intercâmbio de contratações entre a equipe e outros dois times o Beijing Renhe, da China, e o belga Roeselare, que pertencem ao mesmo dono, o empresário chinês Dai Yongge.

Mattos esteve na Inglaterra na virada de ano e teve uma conversa com Yongge. O ex-diretor de Palmeiras e Cruzeiro vai morar em Londres, a cerca de 60 km de Reading, e terá como atribuições acompanhar o cotidiano do elenco e viajar para observar o Beijing Renhe e o Roeselare. Os três clubes pertencentes a Yongge disputam atualmente a segunda divisão de seus países.

O empresário chinês atua no ramo dos shopping centers e começou a investir no futebol em 2012, no Beijing Renhe, e em 2017 passou a trabalhar com os times na Inglaterra e na Bélgica. No Reading, Mattos vai encontrar o goleiro brasileiro Rafael Cabral, campeão da Libertadores pelo Santos em 2011. O time ocupa no momento a 14ª posição na tabela da segunda divisão inglesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.