David Vincent/AP Photo
David Vincent/AP Photo

Matuidi lamenta suspensão e promete ajudar França como puder contra o Uruguai

Meia recebeu o segundo cartão amarelo na partida contra a Argentina e terá de ficar ausente dos gramados nas quartas de final

Estadão Conteúdo

04 Julho 2018 | 08h06

Em meio à felicidade pela vitória sobre a Argentina por 4 a 3, no último sábado, e a classificação da França para as quartas de final da Copa do Mundo, o volante Matuidi viveu a agonia de saber que desfalcaria seu país em um momento tão importante. Ele recebeu o segundo cartão amarelo contra os argentinos e, suspenso, não encara o Uruguai nesta sexta, em Nijni Novgorod.

+ Para Ronaldo, críticas a Neymar são 'conversa fiada de boteco'

+ Técnico da Bélgica vê Brasil favorito nas quartas e prevê: 'Melhor jogo da Copa'

+ Fim da era CR7 e Messi? Neymar, Tite e Alisson são citados para lista de melhores do ano

"Eu fiquei muito triste pela suspensão. Mas estou aqui para apoiar meus companheiros. Eu vou tentar ajudá-los o máximo possível, seja na preparação para a partida ou no vestiário. Eu vou tentar desempenhar este papel. É importante que eles sintam isso, tanto os 11 que vão começar quanto os três que devem entrar. Todos os jogadores se apoiam, somos como uma família", declarou em entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Sem ele, o técnico Didier Deschamps deve decidir em breve quem fará trio com Kanté e Pogba no meio de campo francês. Tolisso foi titular na estreia, diante da Austrália, justamente na vaga que seria conquistada por Matuidi, mas não agradou. Lemar, então, aparece como outra opção e pode ser o escolhido.

"Eu não sou o técnico, sou apenas um jogador. Seja quem jogar, vai responder em campo. Nós somos 23, e todos são importantes. Eu tenho muita confiança em meu grupo. Claro, é possível substituir Matuidi, como qualquer outro. Todo mundo é capaz de responder, seja o Tolisso, o Lemar ou outro", disse o volante.

 

Matuidi ainda falou sobre a expectativa para a partida e elogiou seu ex-companheiro de Paris Saint-Germain, Edinson Cavani. O volante alertou que o atacante fará de tudo para jogar e pode fazer a diferença se estiver em campo, já que se recupera de uma lesão muscular e é dúvida.

"Ele (Cavani) é uma pessoa muito generosa, que não se rende nunca e que fará o possível até a última hora para estar em campo. O Uruguai não é o mesmo sem ele. Cavani é um grande atacante, um dos melhores do mundo, e conhecemos sua qualidade. Será difícil substitui-lo", considerou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.